Ser Coach parte 2 – Fundamentos

Dando continuidade as 10 postagens sobre SER COACH, nessa 2º parte abordarei os fundamentos do processo de coaching. Lembrando que na primeira postagem, coloquei uma visão geral sobre o que é SER COACH, confira aqui.

A base do processo de Coaching é RELACIONAMENTO.

Todas as transformações são baseadas em processos pessoais, de vida para vida e não de informações sobre a vida (O Coach não é um mentor, não é um instrutor).

Os 6 fundamentos de uma relação de coaching:

1) CONFIANÇA
  • Qualidade intangível, fidelidade, suas palavras e ações deve ser completamente consistentes.
  • É construída com o tempo, com constância, nas duas vias (cliente (coachee) e o Coach)
  • As promessas devem ser cumpridas (de ambos os lados).
2) COMUNICAÇÃO CLARA
  • Eu sei o que é esperado de mim na relação, é uma relação de confiança, com clareza.
  • Sem áreas cinzentas no relacionamento(mau esclarecidas), se existirem dúvidas sobre o significado de algo, deve existir abertura para esclarecimentos.
3) TRANSPARÊNCIA – AMOR INCONDICIONAL
  • Se oferecer completamente, por dentro e por fora na relação.
  • Honestidade brutal, confrontando o medo de ser rejeitado.
4) RESPONSABILIDADE
  • Quando confiamos nas pessoas e lhes damos o benefício da dúvida, buscamos relacionamentos autênticos onde somos verdadeiramente responsáveis um pelo outro.
  • Quando há duvidas ou deficiências percebidas, deve ser possível confronta-los sem medo.
  • Deve haver senso de responsabilidade, entendendo suas obrigações no processo.
5) CRENÇA
  • Deve haver o benefício da dúvida em todos os casos. As vezes o nosso coração e nossas ações não estão alinhadas, gerando confusão. Eu acredito no melhor de você.
6) VULNERABILIDADE
  • Na relação de coaching, deve ser possível compartilhar algo que me deixe mais fraco nos olhos dos outros (minhas vulnerabilidades). Esse compartilhamento aumenta a relação de confiança.

O Coach cultiva os Relacionamentos

  • Na relação, é provável que se pise em lugares desconhecidos e assustadores, tanto para o Coach como para o Coachee.
  • O Coach apenas ira conhecer o sucesso da mudanças da vida do cliente, se conhecer o coração do cliente.
  • O Coach deve ir além do superficial e acreditar suficientemente no cliente, para que ele assuma a responsabilidade pela mudança.

Minimizar as diferenças entre a persona PROFISSIONAL e o PESSOAL

  • Como seres sociais, aprendemos a sobreviver socialmente (na escola, no bairro, no trabalho, etc…)
  • Gerenciamos nossa reputação e buscamos não correr riscos em nossos relacionamentos.
  • As pessoas compartilham seu almoço nas redes sociais, mas não os seus piores medos. (parecemos ser fantásticos nas redes sociais)
  • Na relação de coaching, o cliente revelará apenas a persona que o Coach permitir que ele revele.
  • Devemos salientar que existe apenas um nós – não apenas o profissional, nem apenas o familiar, e não apenas o amigo.

Assuma o risco pessoal

  • Compartilhe algo que você não compartilha nas redes sociais.
  • Seus sonhos, seus fracassos, seus medos.
  • Isso não fará você perder credibilidade, e sim ganhar credibilidade e confiança.

Coaching é Influência, não Autoridade

  • Por quê? Porque buscamos a mudança, e, na mudança, a influência é maior do que a autoridade.

Na terceira parte irei abordar o inicio do relacionamento de Coaching.

Duvidas, sugestões, criticas, etc.. Deixe um comentário ou envie sua mensagem.

Um grande abraço.

Deixe uma resposta