O Medo

O Medo

“O maior erro que você pode cometer na vida é passar a vida com medo de cometer erros”

– Elbert Hubbard, filósofo e escritor norte-americano

O medo nos faz usar mascaras

O medo está presente em todos os aspectos de nossas vidas, é o medo que nos impede de ser quem nós realmente somos, é ele que nos faz usar máscaras o tempo todo. Eu sou uma pessoa no meu trabalho, eu sou outra pessoa com meus amigos e outra com a minha família. Eu ainda uso uma máscara para mim mesmo, para que eu possa esconder os meus defeitos e minhas frustrações. Cada máscara que usamos nos faz perder um pedaço de nossa essência, é trabalhoso nos esconder e ter que controlar mentalmente cada uma de nossas ações. Chegamos a um ponto em que nos perdemos quase que por completo em meio às ilusões que criamos, e ficamos completamente infelizes.

Afinal, porque usamos tantas máscaras? Pois temos medo, muito medo de tudo. Buscamos constantemente a aprovação dos outros, com isso, pensamos em como os outros nos julgarão por nossas palavras e ações, assim, acabamos nos transformando em qualquer coisa, menos em quem realmente somos. Isso gera infelicidade e mais medos em um ciclo de frustrações. A origem do medo é a impermanência. Vivemos em um mundo em constante movimento, onde nada é permanente, e como não entendemos e não aceitamos essa condição, vivemos assustados. Temos medo da escassez em mundo de natureza abundante, temos medo das doenças mas não cuidamos de nossa saúde, temos medo da solidão mas não gostamos do que vemos no espelho. Cedemos ao medo e não entendemos porque somos infelizes, ser feliz requer coragem.

 O fato de alguém não usar uma máscara assustas as pessoas, a felicidade assusta as pessoas! Quando eu digo que sou feliz as pessoas se assustam, tentar colocar diversos empecilhos em minha felicidade. Resolvi nunca mais usar máscaras, eu optei pela liberdade, mas para ser sincero, volta e meia ainda me vejo obrigado a usar uma ou outra máscara para atuar na sociedade atual.

“Empreender é como saltar de um penhasco e construir o avião durante a queda”.

– Reid Hoffman, cofundador do LinkedIn

O medo no empreendedorismo

Empreender dá medo, muito medo. Você está sozinho contra tudo e todos, talvez acompanhado apenas por alguns sócios e muitas incertezas. Sim, isso dá muito medo. O medo é cultivado por nossa sociedade, vivemos a cultura do medo. Medo de assaltos, medo de doenças, medo da pobreza, medo de ficar doente e não ter um plano de saúde, medo de ficar sem ter onde morar e virar um mendigo, medo de ficar sozinho, medo da morte, medo do ridículo, e tantos outros medos que nós enfrentamos o tempo todo.

O empreendedor tem que lidar com diversos medos, todos os dias. Além de ter que lidar com os medos comuns, ele tem diversas responsabilidades, como pagar fornecedores, funcionários, impostos, fechar vendas, dar retorno para os investidores e fazer com que o negócio todo prospere. Ele deve ser quase um super-homem em alguns momentos, mas ele é humano, e sofre com isso. O empreendedor deve saber lidar com o medo, e não viver no medo. Se o medo do fracasso, independentemente do que o fracasso signifique para você, fizer você deixar de agir, você não é um empreendedor, pois empreender é ação, é colocar em prática.

“Assim, eu sei que empreender é muito difícil. Porque é muito absurdo você ter que ir sozinho numa jornada contra tudo e contra todos. Mesmo com um ou dois sócios.”

– Gustavo Tanaka, empreendedor e escritor

Como empreendedor tive que enfrentar muitos dos meus medos, e no momento em que você enfrenta seus mais profundos medos de frente, quando você chega no que considera ser o fracasso, você enxerga que a vida continua, o sol nasce de novo, você continua vivo. O sofrimento existe, mas é graças a ele que aprendemos grandes lições, é graças a ele que sabemos o que realmente é importante em nossa vida.

Enfrentando os seus medos

Sim, você deve estar pronto para enfrentar seus medos, pronto para ser cobrado, pronto para encarar os resultados de frente. Quase todo o empreendedor falha em algum momento, vai à falência, quebra, perde o rumo. Os problemas estão na falta de equilíbrio entre os elementos do tripé do empreendedor de sucesso, tanto nas carências desconhecidas, por falta de autoconhecimento, como por carências conhecidas, que ainda não foram devidamente trabalhadas e desenvolvidas. O que diferencia o empreendedor dos outros, é que ele não desiste, ele limpa suas feridas, se cura, e volta a ficar de pé, pronto para buscar o sucesso novamente. Se você não está pronto para enfrentar seus medos, é melhor buscar desenvolver-se melhor antes de começar um empreendimento.

”Quando há uma compreensão do medo, há um entendimento de todos os problemas relacionados a esse medo. Quando não há medo, há liberdade.”

– Jiddu Krishnamurti, filosofo indiano

A cura do medo está no autoconhecimento, na espiritualidade, no despertar da consciência. O maior medo deve estar na pergunta “será que eu estou no caminho certo?” e não na pergunta “será que tudo vai dar certo?”. Quando se está no caminho certo, os fracassos são muito menos relevantes. O único modo de saber sua verdadeira missão é o autoconhecimento. Quando você sabe quem é, enfrentar os medos depende principalmente de sua fé, de sua espiritualidade, o que faz você ir sempre em frente, sem hesitar.

Deixe uma resposta