O Desafio de Ser Criativo

O Desafio de Ser Criativo

Aloha! Tudo bem? Bem vindo, espero que esse post possa lhe ser útil!

Já caiu a ficha que o grande desafio de ser criativo não é uma questão de ter conhecimento? Entender como funciona o processo criativo até pode lhe ajudar, entender algumas das técnicas que podem aumentar a sua inspiração criativa também pode lhe ajudar, mas qualquer criança sem esse conhecimento talvez seja muito mais criativa do que você… Entende?

Criatividade é busca e liberdade, é fazer e ser, é realizar e relaxar até que o inesperado acontece, EUREKA!, você teve um insight criativo.

Vivemos na era do conhecimento, ele está mais acessível hoje do que em qualquer outro período da história humana conhecida. Tablets, Smartphones, notebooks, óculos e outros gadgets, todos conectados a internet, podendo acessar toda essa massa de conhecimentos, técnicas e dados que estão disponíveis livremente para todos. Mas a criatividade é algo realmente diferente, ela não necessariamente precisa do conhecimento, mas ela pode ser fantástica se consegue andar de mãos dadas a ele. Vamos explorar um pouco mais essa questão.

Criatividade X Técnica (conhecimento)

O conhecimento é um movimento do passado, da mente, a criatividade é um movimento do presente, da intuição e das conexões não locais. Sem a criatividade não criamos o novo, já sem a mente, não conseguimos guiar a criatividade para algo “prático”, “belo” ou “relevante”, ou seja, para algo que um adulto tenha interesse.

Você já conhece o caso do pai ilustrador?

O desafio: criatividade x conhecimento (técnica)

O pai ilustrador pegava os desenhos que o filho criava e os redesenhava de forma profissional. Quem fez a parte criativa do trabalho? A criança com certeza, o pai apenas refinou a criação, ele utilizou a técnica. As crianças são muito criativas, mas dificilmente conseguem canalizar essa criatividade para algo que nós adultos consideramos ser algo útil.

A técnica ou conhecimento, é responsável por criar as coisas da forma “certa”, responsável por fazer as coisas funcionarem. Isso pode ir da técnica artística até a técnica usada na engenharia, um bom engenheiro é capaz de reproduzir uma máquina existente, um engenheiro criativo é capaz de criar uma máquina inteiramente nova, esse é o grande X da questão.

Albert Einstein afirmou que quanto mais conhecimento ele tinha, menos criativo ele ficava… Suas principais teorias surgiram no início de seu trabalho. Sua genialidade se da por conciliar de forma perfeita a técnica e a criatividade.

Uma história antiga

Existe uma história antiga, que fala sobre a relação entre a técnica e a criatividade. Ela conta que para se tornar um mestre em alguma atividade, eram necessário 15 anos aprendendo e praticando a atividade, e depois, mais 15 anos realizando apenas atividades diárias, sem praticar a atividade treinada anteriormente. Após esses 30 anos, ele se tornaria um mestre.  Aprendeu e treinou a técnica por muito anos, e depois, por muitos anos esqueceu de toda a técnica aprendida, ficando apenas com o conhecimento do “piloto automático”. Esse “esquecer” serve para libertar a mente do conhecimento do passado, ele não ficará mais preso a uma técnica antiga, ele agora tem liberdade mental de buscar novas inspirações no momento em que for exercer a atividade novamente. Mas a técnica original nunca é inteiramente esquecida, vai apenas para o subconsciente. Em nosso mundo moderno, nós apenas estudamos, e não damos a menor bola para a segunda parte, por isso carecemos de criatividade em nossas atividades, estamos quadrados, presos a padrões mentais antigos. Somos como um cavalo treinado com Antolhos, aquele item que impede que o cavalo possa olhar para o lado…

Então, onde está o grande desafio da criatividade nos dias de hoje? Onde está a sua criatividade? Será que ela ainda existe? Você, que talvez trabalhe com atividades repetitivas, com planilhas, dados, vendas, metas, atividades muito técnicas mas repetitivas, existe um grande desafio esperando por você. O grande desafio é o de conseguir acordar a criança interior e manter as atividades de sua rotina, manter a sua mente técnica e resgatar a sua criatividade sem ter que passar 15 anos fazendo atividades domésticas. Como seguir o script da vida moderna e ao mesmo tempo conseguir ser livre desse script? Como ser sério e ao mesmo tempo transbordar alegria e criatividade por dentro? Sim, é possível…

O caminho é o equilíbrio

O caminho é o equilíbrio, é o caminho do meio, onde existe lugar para as duas atividades. Então, após 20, 30, 40 ou até 50 anos de não-criatividade é possível retoma lá? Sim, mas requer esforço de sua parte. Ser criativo não é um bicho de sete cabeças, é conseguir despertar a sua criança interior novamente, é conseguir despertar a sua chama interna, é despertar a sua curiosidade! Como se faz isso? Tudo começa com a intenção, com o querer retomar a criatividade… E depois? Depois é dar abertura a sua mente, é se divertir, é se reconectar com seu eu. A criatividade é um dom inato do ser humano, todos a tem, mas apenas alguns conseguem mante-lá e utiliza-lá.

Lembre-se dos 9 obstáculos para a criatividade.
Lembre-se das 9 chaves para a criatividade.

Eu vejo as pessoas com muita dificuldade em realizar atividades que exijam um alto grau de liberdade. Um adulto “normal” tem dificuldade de brincar por brincar, tem dificuldade em fazer algo que não tenha um objetivo. Muito diferente de quando se lança um desafio, um desafio sim tem um objetivo claro para o adulto (vencer obviamente…), e ai sim, ele usa todo o seu potencial, ai ele consegue jogar, mas não consegue ser muito criativo, pois ele não consegue soltar, ele não ficar leve, ele não consegue seguir o fluxo criativo, e ai ele é normal, é máquina.

Não Ação

A não ação do Taoismo não quer dizer não fazer nada, ela quer dizer, faça o que tem que ser feito sem nenhuma expectativa de resultados. Como saber soltar, como ser criativo se tudo o que eu quero são resultados? É impossível, o medo do fracasso e da vergonha são muito mais fortes do que a liberdade negada.

A criatividade requer esforço e relaxamento, esforço e relaxamento, esforço e relaxamento, até que PUFF, Eureka, um novo significado surge em sua mente consciente. Esse novo significado surge da mente abstrata, a mentre unificada e não da mente concreta…

Mas se você não consegue mais relaxar, se você não consegue mais brincar, se você não consegue mais sonhar, se você não consegue mais se inspirar, se você perdeu a sua curiosidade, se você não é original, se você não é positivo e se sua mente não para nunca… Sinto lhe dizer, você ainda tem um longa caminho até retomar a sua criatividade.

O lado positivo, é que a Criatividade nunca vai embora, ela está sempre lá, esperando em algum canto escondido de sua mente subconsciente, do seu ego. E se um dia você retomar a sua criatividade, tenha certeza de que uma incrível onda de felicidade inundará sua vida.

E, se você precisar de ajuda, conte comigo.

Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

Dúvidas, sugestões, críticas? Deixe seu comentário 🙂

Um grande abraço!

Mais posts sobre Criatividade aqui.

Startup Day SEBRAE RS

startupday Sebrae RS

STARTUP DAY SEBRAE-RS

Olá amigos, tudo ótimo? Participei do Startup Day SEBRAERS em Porto Alegre no dia 20/05/2017. Se você perdeu o evento não se preocupe, vou trazer aqui um pouco do que rolou.

Foram três palestras e um coffe break de interação e troca de cartões, o evento foi bem bacana. Vou passar alguns insights importantes sobre o que observei nas palestras.

Primeira palestra: Como Nascem Negócios Globais?

Com Luiz Fernando Gomez - Fundador da Lotebox.

Com Luiz Fernando Gomez – Fundador da Lotebox.

Alguns insights da palestra:

– Precisamos pensar de forma global e não regional. No Brasil ainda pensamos muito de forma regional e isso prejudica nossos negócios.

– Existem muitas diferenças nas necessidades de expansão de um negócio global tradicional como a Coca-Cola se comparado com uma empresa digital como o Google. Pense em toda a logística…

– Os negócios digitais globais devem ver o mundo de outra perspectiva geográfica, de acordo com o mapa das conexões digitais e não na geografia tradicional, confira o mapa abaixo:novo mapa do mundo

– O polo tecnológico de Recife movimenta 10 bilhões por ano (não confirmei essa informação).

– O Brasil não tem nenhuma das 91 unicorns que existem fora dos Estados Unidos, startups que vale mais de 1 bilhão de dólares! Confira o mapada CB insights abaixo:unicorns fora dos USA

É importante pensar e refletir o por que de não termos nenhuma delas… Quais são as startups mais relevantes do Brasil? O quão relevantes elas são para o mundo?

– As novas tecnologias estão surgindo cada vez mais rápido! Nunca na história humana tivemos tanta velocidade nas novas descobertas. As coisas ficaram mais rápidas ainda! Confira o gráfico:tecnologia no tempo

– A tecnologia é meio para a criação de novas soluções. Todas as empresas serão empresas de tecnologia!

– Inovação é ação! É transformar ideias em um produto ou serviço real e que gere valor. A inovação envolve pessoas, envolve o comportamento das pessoas.

– Existem três coisas que atormentam a humanidade ao longo de sua história: Fome, Pestes e Guerras.

– Hoje já existem mais acessos a internet via mobile do que em notebooks e desktops. Uau…

– As dinâmicas de mercado são coordenadas por três variáveis: Demográficas, Sócio-Econômicas e Tecnológicas.

–  Novo conceito econômico de “world as a service”, o mundo como provedor de serviços  e não mais baseado em produtos.

Segunda Palestra: Como Vender Mais e Melhor

Com Paulo Rogério - Professor e Empresário

Com Paulo Rogério – Professor e Empresário

Alguns insights:

– Você é vendedor? Ser vendedor é atitude, é acreditar, é saber negociar, é não ter medo.

– Cultura de vendas, atitude e insistência.

– Existem três tipos de vendedor:

  • Hunter, aquele que caça novos clientes.
  • Farmer, aquele que é bom em gerenciar clientes, suas necessidades e seus pedidos.
  • Tirador de pedido…

– Vender é surpreender!

– Estratégias de vendas, o que devemos ter bem definido:

  • O que e quero vender?
  • O que o cliente quer comprar?
  • Como vender ao cliente?
  • Por que o cliente compra de mim?
  • Quando ele compra de mim?

Terceira Palestra: Marketing Digital: Como se Comunicar e Vender Inovação?

Com Leo Prestes - Creative Writer

Com Leo Prestes – Creative Writer

Alguns Insights:

– O jeito de fazer publicidade mudou muito, está muito mais complexo e com muito mais possibilidades.

Para ter sucesso no Marketing Digital é necessário:

  1. Dialogo e Transparência: é necessário ir além da comunicação, é preciso provar que o produto ou serviço é realmente bom.  [Case Zappos] [My Starbucks Idea]
  2. Senso de Comunidade: A importância das comunidades, do status social.
  3. Conteúdo: “Não queremos mais publicidade, queremos conteúdo!”. [Case The beauty Inside da Intel] – Importância não só da criação de conteúdo mas da curadoria de conteúdo. Existe muito conteúdo, é importante alguém indicar qual conteúdo é mais relevante.
  4. Conteúdo em tempo Real: Com as novas tecnologias é possível criar conteúdo em tempo real, com feedbacks e conversas “ao vivo”.  [Casa Sonho de Valsa Plantão do Amor]
  5. Ultra segmentação: Chegamos ao fim da era da comunicação de massa, agora podemos fazer ultra segmentações do público baseado em diversos fatores.
  6. Democracia: Todos podem usar o marketing digital, as pequenas também. Isso da muito mais liberdade nas disputas digitais!


Bom pessoal, em um resumão foi isso. Espero que aproveitem esses insights!

Já conhecem o Livro Equilíbrio Empreendedor? Confira.

Dúvidas, sugestões, contribuições, correção de erros, etc… Estou aqui para isso, deixe o seu comentário, compartilhe nas redes sociais. Um grande abraço!

BUSINESS MODEL CANVAS

business_model_canvas

BUSINESS MODEL CANVAS – UMA VISÃO GERAL

O Business Model Canvas ou “Quadro de modelo de negócios”, é uma ferramenta que serve para planejar e visualizar as principais funções de um negócio e suas relações. O Canvas auxilia os empreendedores nos processos de criação, diferenciação e inovação, aprimorando e permitindo uma clara visualização do modelo de negócios da startup. O Canvas é uma ferramenta de gerenciamento estratégico simples e de fácil utilização, importante para a etapa de “Definição do modelo de negócios e das hipóteses de valor e de crescimento” de uma startup. O modelo Canvas é dividido em nove blocos que descrevem as funções essenciais de um negócio e suas ligações, explicarei cada uma delas posteriormente. Podemos subdividir o modelo Canvas em quatro blocos principais, que respondem às perguntas como, o que, para quem e quanto.

  • Como? Atividades-chave, Recursos-chave e Rede de parceiros.
  • O que? Proposta de Valor.
  • Para quem? Segmentos de Clientes, Canais e Relacionamento com o Cliente.
  • Quanto? Estrutura de custos e Fluxo de receita.

Para utilizar o Canvas, o mais recomendado é imprimir o modelo base que se encontra na página a seguir, preferencialmente em uma folha A3, e preenchê-lo utilizando utilizando post-its, adesivos autocolantes que facilitam o acréscimo, remoção e realocação das ideias. Mude e reorganize o modelo quantas vezes forem necessárias, o Canvas de nenhuma maneira é um modelo fixo a ser seguido. A utilização do Canvas irá ajudar no entendimento e na análise das estratégias de negócios do empreendimento, podendo o empreendedor modificá-las e encontrar soluções criativas para seu negócio.

business model canvas

O Business Model Canvas

OS NOVE BLOCOS DO MODELO CANVAS

1) Segmento de Clientes

Quais são os diferentes grupos de pessoas ou organizações que minha empresa busca alcançar e servir. Uma empresa existe para satisfazer as necessidades e desejos de seus clientes, identifique-os.

  • Para quem estamos criando valor?

  • Quem são nossos consumidores mais importantes?

2) Proposta de Valor

Descreve o pacote de produtos e serviços que criam valor para um Segmento de Clientes específico. É a proposta de valor que define o motivo pelo qual os clientes escolhem uma empresa ou outra. É ela que soluciona o problema do cliente, que satisfaz seu desejo ou necessidade. Ela descreve o conjunto de benefícios que geram valor ao cliente.

  • Que valor entregamos ao cliente?

  • Qual problema estamos ajudando a resolver?

  • Que necessidades estamos satisfazendo?

  • Que conjunto de produtos e serviços estamos oferecendo para cada Segmento de Clientes?

3) Canais

Descreve como uma empresa se comunica e alcança seus Segmentos de Clientes para entregar uma Proposta de Valor. Os canais de comunicação, distribuição e vendas compõem a interface da empresa com os clientes. Eles são o ponto de contato com os clientes, e desempenham importantes papeis.

  • Através de quais Canais nosso Segmento de Clientes quer ser contatado?

  • Como nossos Canais se interagem?

  • Qual funciona melhor?

  • Quais apresentam melhor custo-benefício?

  • Como estão integrados à rotina dos clientes?

4) Relacionamento com Clientes

Descreve os tipos de relações que uma empresa estabelece com os Segmentos de Clientes. As relações podem variar desde pessoais até automatizadas. Elas podem ser guiadas pela conquista do cliente, pela retenção do cliente ou pela ampliação das vendas. Essas estratégias podem ser alteradas ao longo do tempo.

  • Que tipo de relacionamento cada um dos nossos Segmentos de Clientes espera que estabeleçamos com eles?

  • Quais já estabelecemos?

  • Qual o custo de cada um?

  • Como se integram ao restante do nosso Modelo de Negócios?

5) Fontes de Receita

Representa o dinheiro que uma empresa gera a partir de cada Segmento de Clientes. Quais os tipos de precificação a empresa usa.

  • Quais valores nossos clientes estão realmente dispostos a pagar?

  • Pelo que eles pagam atualmente?

  • Como pagam?

  • Como prefeririam pagar?

  • O quanto cada Fonte de Receita contribui para o total da receita?

6) Recursos Principais

Descreve os recursos mais importantes exigidos para fazer um Modelo de Negócios funcionar. Cada Modelo de Negócios requer determinados Recurso Principais, eles permitem que uma empresa crie e ofereça sua Proposta de Valor, alcance mercados, mantenha relacionamentos com os Segmentos de Clientes e obtenha receita. Eles podem ser físicos, financeiros, intelectuais ou humanos.

  • Quais Recursos Principais são necessários para que cada um dos seguintes itens realizem suas funções:

    • Proposta de Valor;

    • Canais de Distribuição;

    • Relacionamento com o Cliente;

    • Fontes de Receita.

7) Atividades-Chave

7) Atividades-Chave

Descreve as ações mais importantes que uma empresa deve realizar para que seu Modelo de Negócios funcione.

  • Quais são as Atividades-Chave realizadas pelos seguintes itens do modelo Canvas:

    • Proposta de Valor;

    • Canais de Distribuição;

    • Relacionamento com o Cliente;

    • Fontes de Receita.

8) Parcerias Principais

Descreve a rede de fornecedores e os parceiros que põem o Modelo de Negócios para funcionar. As empresas criam alianças para otimizar seus modelos, reduzir riscos ou adquirir recursos.

  • Quem são nossos principais parceiros?

  • Quem são nossos principais fornecedores?

  • Que Recursos Principais estamos adquirindo dos parceiros?

  • Que Atividades-Chave os parceiros executam?

9) Estrutura de Custo

Descreve os custos mais importantes envolvidos na operação de um Modelo de Negócios.

  • Quais são os custos mais importantes em nosso Modelo de Negócios?

  • Que Recursos Principais são mais caros?

  • Quais Atividades-Chave são mais caras?

EXEMPLO DE MODELO CANVAS DO SKYPE

Canvas Skype

Canvas Skype

Uma explicação sobre o Canvas (em inglês). Mais em: https://strategyzer.com/canvas/business-model-canvas

Dúvidas ou sugestões? Deixe seu comentário.

Agende uma aula sobre Business Model Canvas, empreendedorismo, Lean Startup ou inovação em sua organização.

Um abraço!

Design Thinking no empreendedorismo

Design Thinking

Design Thinking no empreendedorismo

A inovação se tornou nada menos do que uma estratégia de sobrevivência.”

– Tim Brown, designer e CEO

O Design Thinking é uma abordagem focada em encontrar soluções inovadoras e criativas para problemas e necessidades reais utilizando um conjunto de métodos e processos. Seu objetivo é criar soluções que tragam satisfação para o cliente, o que só pode ser atingido quando se conhece suas reais necessidades, desejos e percepções. O Design Thinking é baseado em nossa capacidade de sermos intuitivos, reconhecermos padrões, desenvolvermos ideias que tenham um significado emocional além do funcional, de nos expressarmos em mídias indo além das palavras ou símbolos.

Design Thinking traz diversas vantagens, como a velocidade e o baixo custo para a geração de inovação de valor. Ele utiliza o trabalho em equipe e não depende de “gênios criativos”, levando em conta o conhecimento tácito das pessoas e experiências com protótipos, não dependendo de extensas pesquisas quantitativas.

Design Thinkingé uma importante ferramenta para a etapa de “observação, insight, exploração e criação” de uma startup. Acredito que o Design Thinkingé complementa com excelência os conceitos da Startup Enxuta, e pode ser utilizado em todo o processo de criação e desenvolvimento de um startup. Não existe uma “melhor forma” de percorrer o processo de solução de problemas com inovação. O Design Thinkingé é fundamentado no processo exploratório, sua missão é a de traduzir observações em insights, e estes em produtos e serviços que melhorem a vida das pessoas. O Design Thinkingé é importante para enfrentar a cultura atual da eficiência, que dificulta a criatividade e a inovação.

Não existe uma “melhor forma” de percorrer o processo de solução de problemas com inovação. O Design Thinkingé é fundamentado no processo exploratório, sua missão é a de traduzir observações em insights, e estes em produtos e serviços que melhorem a vida das pessoas. Ele é importante para enfrentar a cultura atual da eficiência, que dificulta a criatividade e a inovação.

Alguns dos conceitos do Design Thinking:

  • Falhe muitas vezes para ter sucesso mais cedo.

  • Foco no ser humano.

  • É melhor assumir uma abordagem experimental: compartilhar processos, incentivar a propriedade coletiva de ideias e permitir que as equipes aprendam umas com as outras.

  • Boas ideias devem ter: praticidade, viabilidade e desejabilidade.

  • Em uma equipe multidisciplinar, cada pessoa defende a própria especialidade técnica. Em uma equipe interdisciplinar, todos se sentem donos das ideias e assumem a responsabilidade por elas.

  • Design Thinking é busca liberar a criatividade.

  • É necessário desenvolver uma cultura onde é melhor pedir perdão depois, em vez de permissão antes, que recompensa as pessoas pelo sucesso, mas lhes dá permissão para falhar, removendo assim um dos principais obstáculos à geração de novas ideias.

  • Design Thinking é uma mentalidade incorporada – incorporada em equipes e projetos, mas também nos espaços físicos de inovação.

  • Flexibilidade é fundamental.

  • Mudar a cultura de hierarquia e eficiência para uma de risco e exploração. As pessoas que conseguem fazer essa transição com sucesso provavelmente se tornarão mais envolvidas, mais motivadas e mais produtivas do que nunca.

“Se eu perguntasse a meus clientes o que eles queriam, teriam respondido ‘um cavalo mais rápido’.”

Henry Ford, empreendedor

Etapas do Design Thinking:

O processo do Design Thinking tem quatro etapas principais:

1º – Imersão: entender, observar e sentir o problema;
2º – Análise e síntese: entender e analisar a situação;
3º – Ideação: criar soluções, explorar criativamente as ideias;
4º – Prototipação: Criar um protótipo para testar as ideias;

TÉCNICAS E FERRAMENTAS DO DESIGN THINKING

Durante as etapas do Design Thinking são usadas diversas técnicas e ferramentas:

Pensamento visual: conceber uma imagem mental de uma ideia a partir de desenhos, gráficos, imagens ou qualquer representação visual que vá além de palavras e números.

Pensamento Visual

Pensamento Visual

Pensamento integrativo: explorar ideias opostas para construir novas soluções. Ampliar o escopo de questões relevantes, buscando soluções não lineares e multidirecionais. Conseguir extrair o fundamental em meio ao caos, ao excesso de variáveis e a complexidade das coisas. É sintetizar ideias a partir de fragmentos, é conseguir observar o todo ao invés de apenas uma parte.

Pensamento Integrativo

Pensamento Integrativo

Insights: ao observar com empatia o comportamento das pessoas e como elas lidam com o seus problemas, é possível ter insights de soluções inovadores para esses problemas. O insight é a descoberta que surge depois da reflexão sobre o problema.

Obstáculos para a criatividade

Obstáculos para a criatividade

Mapa mental: Ajuda na exploração do pensamento divergente, como ferramenta que possibilita a criação de um modelo mental de busca de alternativas, caminhos, soluções, respostas, possibilidades que sejam, sempre que possível; criativas, lógicas, estruturadas, estranhas, factíveis, duvidosas, de todo o tipo, para que se possa explorar e chegar às melhores soluções.

Mapa Mental

Mapa Mental

Prototipagem: É a versão física de um produto, podendo ser uma versão rudimentar do mesmo. Sua importância se dá pelas possibilidades de enxergar o produto concretamente, abrindo diversas possibilidades de aprimorá-lo. Serviços e tipos diferentes de produtos também podem ser prototipados através de storytelling, experiências simuladas e maquetes de projeção.

Protótipo

Protótipo


Você experiência com Design Thinking? Compartilhe, contribua analise, mande seu feedback! Vamos construir melhores conceitos e definições juntos.

Um abraço!