O Desafio de Ser Criativo

O Desafio de Ser Criativo

Aloha! Tudo bem? Bem vindo, espero que esse post possa lhe ser útil!

Já caiu a ficha que o grande desafio de ser criativo não é uma questão de ter conhecimento? Entender como funciona o processo criativo até pode lhe ajudar, entender algumas das técnicas que podem aumentar a sua inspiração criativa também pode lhe ajudar, mas qualquer criança sem esse conhecimento talvez seja muito mais criativa do que você… Entende?

Criatividade é busca e liberdade, é fazer e ser, é realizar e relaxar até que o inesperado acontece, EUREKA!, você teve um insight criativo.

Vivemos na era do conhecimento, ele está mais acessível hoje do que em qualquer outro período da história humana conhecida. Tablets, Smartphones, notebooks, óculos e outros gadgets, todos conectados a internet, podendo acessar toda essa massa de conhecimentos, técnicas e dados que estão disponíveis livremente para todos. Mas a criatividade é algo realmente diferente, ela não necessariamente precisa do conhecimento, mas ela pode ser fantástica se consegue andar de mãos dadas a ele. Vamos explorar um pouco mais essa questão.

Criatividade X Técnica (conhecimento)

O conhecimento é um movimento do passado, da mente, a criatividade é um movimento do presente, da intuição e das conexões não locais. Sem a criatividade não criamos o novo, já sem a mente, não conseguimos guiar a criatividade para algo “prático”, “belo” ou “relevante”, ou seja, para algo que um adulto tenha interesse.

Você já conhece o caso do pai ilustrador?

O desafio: criatividade x conhecimento (técnica)

O pai ilustrador pegava os desenhos que o filho criava e os redesenhava de forma profissional. Quem fez a parte criativa do trabalho? A criança com certeza, o pai apenas refinou a criação, ele utilizou a técnica. As crianças são muito criativas, mas dificilmente conseguem canalizar essa criatividade para algo que nós adultos consideramos ser algo útil.

A técnica ou conhecimento, é responsável por criar as coisas da forma “certa”, responsável por fazer as coisas funcionarem. Isso pode ir da técnica artística até a técnica usada na engenharia, um bom engenheiro é capaz de reproduzir uma máquina existente, um engenheiro criativo é capaz de criar uma máquina inteiramente nova, esse é o grande X da questão.

Albert Einstein afirmou que quanto mais conhecimento ele tinha, menos criativo ele ficava… Suas principais teorias surgiram no início de seu trabalho. Sua genialidade se da por conciliar de forma perfeita a técnica e a criatividade.

Uma história antiga

Existe uma história antiga, que fala sobre a relação entre a técnica e a criatividade. Ela conta que para se tornar um mestre em alguma atividade, eram necessário 15 anos aprendendo e praticando a atividade, e depois, mais 15 anos realizando apenas atividades diárias, sem praticar a atividade treinada anteriormente. Após esses 30 anos, ele se tornaria um mestre.  Aprendeu e treinou a técnica por muito anos, e depois, por muitos anos esqueceu de toda a técnica aprendida, ficando apenas com o conhecimento do “piloto automático”. Esse “esquecer” serve para libertar a mente do conhecimento do passado, ele não ficará mais preso a uma técnica antiga, ele agora tem liberdade mental de buscar novas inspirações no momento em que for exercer a atividade novamente. Mas a técnica original nunca é inteiramente esquecida, vai apenas para o subconsciente. Em nosso mundo moderno, nós apenas estudamos, e não damos a menor bola para a segunda parte, por isso carecemos de criatividade em nossas atividades, estamos quadrados, presos a padrões mentais antigos. Somos como um cavalo treinado com Antolhos, aquele item que impede que o cavalo possa olhar para o lado…

Então, onde está o grande desafio da criatividade nos dias de hoje? Onde está a sua criatividade? Será que ela ainda existe? Você, que talvez trabalhe com atividades repetitivas, com planilhas, dados, vendas, metas, atividades muito técnicas mas repetitivas, existe um grande desafio esperando por você. O grande desafio é o de conseguir acordar a criança interior e manter as atividades de sua rotina, manter a sua mente técnica e resgatar a sua criatividade sem ter que passar 15 anos fazendo atividades domésticas. Como seguir o script da vida moderna e ao mesmo tempo conseguir ser livre desse script? Como ser sério e ao mesmo tempo transbordar alegria e criatividade por dentro? Sim, é possível…

O caminho é o equilíbrio

O caminho é o equilíbrio, é o caminho do meio, onde existe lugar para as duas atividades. Então, após 20, 30, 40 ou até 50 anos de não-criatividade é possível retoma lá? Sim, mas requer esforço de sua parte. Ser criativo não é um bicho de sete cabeças, é conseguir despertar a sua criança interior novamente, é conseguir despertar a sua chama interna, é despertar a sua curiosidade! Como se faz isso? Tudo começa com a intenção, com o querer retomar a criatividade… E depois? Depois é dar abertura a sua mente, é se divertir, é se reconectar com seu eu. A criatividade é um dom inato do ser humano, todos a tem, mas apenas alguns conseguem mante-lá e utiliza-lá.

Lembre-se dos 9 obstáculos para a criatividade.
Lembre-se das 9 chaves para a criatividade.

Eu vejo as pessoas com muita dificuldade em realizar atividades que exijam um alto grau de liberdade. Um adulto “normal” tem dificuldade de brincar por brincar, tem dificuldade em fazer algo que não tenha um objetivo. Muito diferente de quando se lança um desafio, um desafio sim tem um objetivo claro para o adulto (vencer obviamente…), e ai sim, ele usa todo o seu potencial, ai ele consegue jogar, mas não consegue ser muito criativo, pois ele não consegue soltar, ele não ficar leve, ele não consegue seguir o fluxo criativo, e ai ele é normal, é máquina.

Não Ação

A não ação do Taoismo não quer dizer não fazer nada, ela quer dizer, faça o que tem que ser feito sem nenhuma expectativa de resultados. Como saber soltar, como ser criativo se tudo o que eu quero são resultados? É impossível, o medo do fracasso e da vergonha são muito mais fortes do que a liberdade negada.

A criatividade requer esforço e relaxamento, esforço e relaxamento, esforço e relaxamento, até que PUFF, Eureka, um novo significado surge em sua mente consciente. Esse novo significado surge da mente abstrata, a mentre unificada e não da mente concreta…

Mas se você não consegue mais relaxar, se você não consegue mais brincar, se você não consegue mais sonhar, se você não consegue mais se inspirar, se você perdeu a sua curiosidade, se você não é original, se você não é positivo e se sua mente não para nunca… Sinto lhe dizer, você ainda tem um longa caminho até retomar a sua criatividade.

O lado positivo, é que a Criatividade nunca vai embora, ela está sempre lá, esperando em algum canto escondido de sua mente subconsciente, do seu ego. E se um dia você retomar a sua criatividade, tenha certeza de que uma incrível onda de felicidade inundará sua vida.

E, se você precisar de ajuda, conte comigo.

Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

Dúvidas, sugestões, críticas? Deixe seu comentário 🙂

Um grande abraço!

Mais posts sobre Criatividade aqui.

Dois Paradigmas: Materialismo Científico e a Nova Ciência

A nova ciência - física quântica - Criatividade - uma nova visão do ser humano baseada na consciência

Dois Paradigmas: Materialismo Científico e a Nova Ciência

A ciência tradicional é baseada no pensamento materialista, onde tudo o que existe é fruto de interações materiais. Esse modelo de pensamento materialista nem mesmo permite uma definição de criatividade postulada pelos pesquisadores da esfera da criatividade. Segundo AMABILE (1990), a criatividade diz respeito a explorar o novo significado de valor mental. Entender melhor esse conflito e as idéias da nova ciência é mote deste post.

Por que isso interessa no estudo e prática da Criatividade? Porque a criatividade é baseada tanto em fenômenos conscientes (etapas de preparação e manifestação) como em fenômenos do inconsciente (etapas de incubação e iluminação).

Confira as principais diferenças entre as duas visões ( retirado do livro Criatividade para o século 21 do Dr. Amit Goswami)

Metafísica do materialismo científico

  • O que é real consiste em matéria e nas manifestações de interação material. A matéria é reducionista, o macro é redutível ao micro, e a causa vai do nível mais básico de partículas elementares a átomos, moléculas e toda a macromatérias incluindo células vivas e o cérebro. A esse tipo de causação de baixo para cima chamamos “causação ascendente”. Coisas que parecem ser não materiais, como nossas experiências interiores são consideradas fenômenos secundários (epifenômenos) do cérebro, com nenhum poder causal que lhe seja inerente.
O modelo de causação ascendente - física newtoniana - ciência materialista

O modelo de causação ascendente – ciência materialista

  • O comportamento de objetos é independente dos sujeitos (ou seja, de nós). No nível macro, esse comportamento se dá de acordo com a física de Newton (também chamada “física clássica”), é determinado e funciona ao modo de uma máquina. Como tais, esses comportamentos estão sujeitos a predições e controle.
  • A mente é uma máquina newtoniana, um epifenômeno do cérebro. Ela é completamente determinada pelo cérebro, e sua dinâmica é algorítmica. A continuidade causal é pressuposta também para o comportamento humano, limitando o que a criatividade pode representar. Por exemplo, a criatividade não pode produzir coisa alguma que seja realmente nova, pois a visão de mundo pressupõe que todas as coisas que existem são determinadas pelas que já estão lá.
  • A consciência é, portanto, um fenômeno cerebral carente de eficácia causal; em outras palavras, não existe livre-arbítrio. Acredita-se que o conceito de consciência seja uma conveniência operacional; é em grande parte graças a nossos padrões de linguagem que podem usar algum conceito.
  • Não é possível distinguir consciente de inconsciente; em outras palavras, não existe explicação sobre como surge a experiência de divisão sujeito-objeto da consciência total da percepção-consciente. Portanto, o conceito de inconsciente é visto com muitas reservas.
  • A visão de mundo do “tudo é matéria” exclui a relevância de nossas experiências interiores de sentir, de dar significado e de intuir, e com isso marginaliza as artes, as humanidades, a ética, a religião e a espiritualidade – na verdade, nossa própria consciência. Essa ciência torna a consciência algo operacional, mera linguagem, onde não existe o inconsciente, a psicologia do inconsciente é psicologia vodu, onde a mente é cérebro, onde não há nada para sentir nem intuir, havendo apenas condicionamento genético, não existindo livre-arbítrio.
  • O modelo mecanicista de criatividade excluem a real criatividade humano do repertório de fenômenos De acordo com os materialistas, a criatividade nada mais é do que a hábil aplicação do bom e velho método científico. Tente várias combinações de velhos e conhecidos contextos, um a um, e veja se o contexto novo, então gerado, não é capaz de resolver o problema da busca de uma solução. Em caso afirmativo, você chegou a um final feliz. Em caso negativo, tente outra combinação possível. Continue até conseguir.
  • Nesse modelo, o pensamento divergente – a capacidade de pensar muitas combinações alternativas de contextos aprendidos, é fundamental. Junto a isso, o pensamento convergente, se for capaz de manter um foco e usar a razão para organizar as alternativas que pretende experimentar para um êxito mais imediato, tanto melhor. Computadores de silício seriam mais bem sucedidos em atos criativos do que as pessoas, ineficientes computadores de carbono produzidos ao acaso pela evolução de Darwin.
  • Mas os pesquisadores da criatividade tem dados bem diferentes provindos de milhares de estudos de caso. Eles dizem que no trabalho criativo real, realizado por pessoas criativas, há um importante papel reservado para o inconsciente, este que é denegrido pelos materialistas como vodu. E ainda mais, os pesquisadores insistem na existência de uma descontinuidade no processo criativo em vez de uma continuidade passo a passo do método científico.
  • O pensamento do “mente é cérebro” retrata a mente como coisa computável e, por isso mesmo, algorítmica (procedimento lógico passo a passo baseado na continuidade) e contínua. A descontinuidade é um anátema (maldição) para o pensar materialista.

A Nova Ciência

A nova ciência, física quântica

O novo paradigma científico é inclusivo com relação a todos os modos humanos de experiência – sensações, sentimento, pensamento e intuição. É a ciência no âmbito da consciência, baseada na Física Quântica e na metafísica do idealismo monista, que postula a consciência como fundamento de todo ser.

  • A consciência é o fundamento de todo ser.
  • A experiência concreta manifesta é precedida por possibilidades – possibilidades quânticas. A escolha consciente converte possibilidades em experiência concreta. Uma vez que a escolha é exercida a partir de um estado não ordinário de consciência – “mais elevada” do que nosso ego ordinário -, podemos chama-lá “causação descendente”. Nós vamos nos referir a essa consciência mais elevada como consciência quântica; tradições espirituais referem-na como Deus.
  • No âmbito de nossa consciência não dividida, existem quatro mundos de possibilidades quânticas dos quais se pode partir via acusação descendente de escolha consciente, e deles advêm todas as nossas experiências: o mundo material que sentimos (sensações); o mundo vital, cujas energias de movimento nós sentimos (emoções); o mundo mental, com o qual pensamos e processamos o significado; e o mundo supramental de arquétipos (platônicos) – verdade, beleza, amor, bondade, justiça etc. – que intuímos, do qual haurimos valores.
  • A escolha consciente precipita o colapso das possibilidades quânticas multifacetadas em cada um dos domínios para se tornar experiência concreta. Os mundos paralelos múltiplos não interage diretamente; a consciência medeia a sua interação pela escolha simultânea e colapso de possibilidade em experiência concreta.
  • O colapso é o significado não local que requer uma ausência de interpretação e nenhuma comunicação que envolva troca de sinais. A não localidade é uma comunicação desprovida de sinais e situa-se “fora” do espaço e do tempo. A consciência quântica é não local, ela escolhe a partir de si mesma, de suas próprias possibilidades.
  • O colapso é descontínuo. Antes dele, as possibilidades quânticas, que são propriamente ondas de possibilidades quânticas, residem na potentia transcendente, fora do espaço e do tempo. O colapso transforma ondas em partículas imanentes no espaço e no tempo. Daí se vê por que a continuidade tem de prevalecer. De que outro modo se poderia descrever espaço e tempo “exteriores”? Se “o fora” do espaço e do tempo formasse uma continuidade com o que está dentro do espaço e do tempo, poderíamos apenas expandir as fronteiras e incluí-lo, não poderíamos? A palavra “transcendente” nos remete tento a não localidade como a descontinuidade.
  • Na potentia transcendente, a consciência se mantém indivisa a partir de suas possibilidades, e não há experiência. A isso se chama, em psicologia profunda, inconsciente, muito embora este tenha adquirido hoje um significado muito mais amplo, em conformidade com dados experimentais. O colapso produz “cossurgimento dependente” entre um sujeito da experiência e um objeto da experiência. O sujeito já não é mero artifício de linguagem. Um sujeito é uma pessoa com um cérebro com que a consciência se identifica.
  • A criatividade é fundamentalmente um fenômeno de consciência manifestado, de maneira descontínua, facetas de possibilidade realmente novas (antes elas eram não manifestadas e inconscientes) a partir do transcendente para o domínio imanente. Assim fica claro por que nas tradições antigas a criatividade é referida como um casamento entre o Céu (transcendente) e a Terra (imanente).
  • Por sua própria natureza, o processamento inconsciente é processamento quântico – um processamento simultâneo de muitas possibilidade – radicalmente superior ao método científico de cepa newtoniana.
  • Na ciência materialista, a mente é o cérebro; e o cérebro só pode processar significado antigo em sua memória, não o podendo converter em novo significado. E a intuição não existe no pensar materialista. A física quântica permite que você pense em sua própria mente e em sua faculdade de intuir (a que chamamos de supramental) de modo diferente, como entidades de si mesmas, completamente independente do cérebro. O papel do cérebro se faz valer à medida que nós o usamos para efetuar representações de significado mental, tal como o hardware, o cérebro do computador, em relação ao software.
  • Criatividade é intencional e motivação é essencial.
Consciência - Fora do Tempo e do Espaço, Físico, vital, mental, supramental

A consciência, quem somos.

Quando usamos o novo paradigma da ciência no âmbito da consciência para compreender a criatividade obtemos respostas satisfatórias para todas as questões relativas à criatividade. A criatividade é a descoberta [ou invenção] de um novo significado de valor.

A nova ciência é baseado em milhares de dados empíricos, experiências cientificas e dados científicos. A nova ciência não é exclusiva, ela não invalida a ciência newtoniana, a qual tem seu valor e utilização no mundo físico.

No mínimo, para sermos criativos, precisamos ter mente aberta, estar livre de preconceitos e analisar as informações expostas.

Eu não sou uma máquina biológica, eu sou infinitas possibilidades, isso não é filosofia, isso é ciência teórica e aplicada.

Ficaram curiosos? Céticos? Inspirados? Vamos trocar idéias! O dialogo construtivo sobre esse assunto é de grande importância, mesmo que você seja contra a nova ciência, sua contribuição construtiva é muito importante.

Um grande abraço.

Insights do livro: Criatividade, Liberando sua Força Interior

Criatividade liberando sua força interior

Insights do livro: Criatividade, Liberando sua Força Interior

Olá! Tudo bem? Como anda o seu treinamento criativo?

Nesse post apresento insights sobre o livro Criatividade liberando sua força interior do Osho. Para quem não conhece o autor, Osho foi um mestre espiritual indiano cheio de controvérsias e seguidores.

Lembrem que para a criatividade florescer é necessário liberdade de pensamento, ter a mente aberta, curiosa, e evitar qualquer pré-julgamento, algo bem difícil pois somos bem treinados na arte de julgar.

Os insights estão levemente organizados em categorias.

Vamos lá!

Sobre a Criatividade

Mente Criativa

  • A criatividade é a maior forma de rebeldia da existência. Se deseja criar você tem que se livrar de todos os condicionamentos; do contrário, sua criatividade não passará de mera imitação, será apenas uma simples cópia de algo.
  • Na ação, há criatividade, toda espécie de criatividade – música, poesia, pintura, escultura, arquitetura, ciência, tecnologia.
  • Criatividade é pulsar em absoluta harmonia com o Todo.
  • Criatividade requer atividade. Qualquer coisa pode ser criativa; é você que confere essa qualidade à atividade.
  • Criatividade significa amar tudo o que você faz – rejubilar-se com isso.
  • Toda a estrutura da nossa vida é tal que somos ensinados que, a menos que haja reconhecimento, não somos ninguém, somos inúteis. O trabalho não importante, mas o reconhecimento é – isso é uma inversão de valores.
  • Todo o valor intrínseco da criatividade foi aniquilado e o de milhões de pessoas foi destruído – pois não se pode dar Prêmios Nobel a milhões de pessoas. Mas cria-se o desejo de reconhecimento em todos, de modo que ninguém possa trabalhar em paz, em silêncio, tendo prazer naquilo que faz.

 

Criatividade e Espiritualidade

  • A criatividade é um estado de consciência e de ser muito paradoxal. É ação por meio de inação, é o que Lao-tsé chama de wei-wu-wei. É o ato de permitir que algo ocorra por seu intermédio. Não é o ato de fazer, mas o de permitir. É o ato de tornar-se uma passagem para que o todo flua através de você.
  • Apenas lhe abra um pequeno caminho, uma pequena passagem, para que Ele venha através de você. Isso é criatividade – permitir que Deus se manisfeste é criatividade. A criatividade é um estado religioso.
  • Deus só pode alcança-lo quando você é receptivo, um elemento receptivo. Quando você se torna yin, o principio feminino, a porta se abre. E você Aguarda.
  • Criatividade é ser possuído por Deus.
  • A pessoa criativa é aquela que traz algo do desconhecido para o mundo que se conhece; que traz algo de Deus para o mundo. A criatividade emana do criador, e não de você. Você se apaga a criatividade reluz – é quando o Criador toma posse de você.

 

A pessoa criativa

  • A pessoa que pretende ser criativa não pode seguir o mesmo caminho dos outros. Ela tem que descobrir o seu próprio caminho, tem que pesquisar nas selvas da vida.
  • A criatividade é a essência da liberdade individual.
  • A pessoa criativa é aquela que tem introspecção, que consegue ver coisas que nenhuma outra viu antes, que ouve coisas que ninguém ouviu antes – nela, sim, há criatividade.
  • A criatividade é subproduto do ato de sonhar.
  • Todos os grandes valores da vida – amor, silêncio, felicidade, alegria, piedade – o tornam consciente de uma imensa unicidade. Não há ninguém igual a você; todos nós somos diferentes expressões da mesma realidade, cânticos diversos do mesmo cantor.
  • Se você quer ser criativo, o que você deveria fazer? Desfazer tudo o que a sociedade fez de você. Desfazer tudo o que seus pais e professores fizeram de você. Desfaça o que o policial, o que o político, o que o padre fizeram de você – e você voltará a ser criativo, você voltará a sentir aquela emoção que sentiu quando tudo começou. Ela ainda aguarda aí dentro, recalcada. Mas ela pode liberar-se do que a reprime.
  • Tente fazer algo com perfeição, e ele continuará imperfeito. Faça-o naturalmente, e ele será sempre perfeito. A natureza é perfeita; o esforço é imperfeito. Portanto, quando você está tentando fazer algo muito esforçadamente, você o está destruindo.
  • Quando o pintor pinta com abandono tal, que chega a ausentar-se de sua obra, chega a viver um drama de consciência, pois sabe que ele não a fez… Ele sabe que alguma força desconhecida a criou por meio dele, ele sabe que foi possuído. Essa tem sido a experiência através das eras de todos os artistas realmente grandiosos: a sensação de ser possuído. Quanto maior o artista, mais clara se torna essa sensação.
  • Nenhuma história pode ser bela se ela estiver completamente acabada. Ela estará morta. A experiência é como uma porta sempre aberta – isso significa que ela está sempre inacabada. A crença é sempre completa e acabada. A mente é o conjunto de todas as suas crenças. Abertura significa ausência da mente; abertura significa pôr a mente de lado e mostrar-se disposto a ver sempre a vida de uma nova maneira, nunca com os mesmos olhos.

 

Relaxamento

  • Muitas pessoas gostam de relaxar, mas não conseguem. O relaxamento é como um florescimento; você não pode força-lo.
  • Relaxamento é ausência, ausência de atividade. É um estado no qual a sua energia não flui em nenhum sentido – nem opara o futuro, nem para o passado, ela simplesmente permanece aí com você.
  • Relaxamento não é postura; relaxamento é a transformação total de sua energia.
  • A criatividade significa simplesmente que você está em estado de relaxamento total.
  • As pessoas receptivas, sensíveis, são pessoas imaginativas. Aquelas que conseguem contemplar o verdor das plantas, sem nenhuma agressão de sua parte, por mais sutil que seja – que tipo de pessoa consegue simplesmente embeber-se do viço das árvores, quem consegue apenas absorvê-lo como se fossem esponjas – essas pessoas se tornam muito criativas, muito imaginativas. Essas pessoas são poetas, pintores, dançarinos, músicos – elas absorvem o universo em profunda receptividade e, depois, transbordam em sua imaginação tudo o que observam.
  • No ocidente, o grande interesse pelas drogas ocorre apenas porque os ocidentais conseguiram destruir o hemisfério direito do cérebro completamente por causa da educação compulsória.
  • A meditação faz a mesma coisa que a droga; ela desloca a predominância da função cerebral, faz a do hemisfério direito prevalecer sobre a do esquerdo. Ela libera sua capacidade íntima de criatividade.

 

O Ego

  • Quando você é criativo, o desejo desaparece. Quando você é criativo, a ambição desaparece. Quando você é criativo, você já é aquilo que sempre quis ser.
  • O ego está sempre esforçando-se para nadar contra a correnteza. As pessoas não gostam de fazer coisas fáceis. Antes de fazê-as, elas gostam de torná-las árduas, difíceis. As pessoas adoram fazer coisas difíceis. Por quê? Porque, quando você enfrenta uma situação difícil, seu ego se torna sutil, sagaz; é um desafio. Para quem é o desafio? Para o ego.
  • Você não precisa ir a nenhuma escola para aprender a ser criativo. Tudo o que você precisa é voltar-se para dento de si mesmo e ajudar a extinção do próprio ego.
  • Cedendo a uma força que não é sua, entregando-se a uma força que está além de você, isso é criatividade. Meditação é criatividade. E, quando o ego desaparece, a ferida em você desaparece; você está curado, você está são – o ego é a sua doença.
  • O mestre o está aconselhando a abandonar o seu eu, o seu ego. O primeiro passo é a receptividade, pois, no estado de receptividade, o ego não pode existir – ele só consegue existir em situações de conflito. E, quando você é receptivo, sua capacidade de imaginação se torna inesperadamente muito grande.
  • Ego é neurose. O ego sempre quer ser perfeito. O ego é muito perfeccionista. O ego sempre quer ser mais alto e melhor do que os outros; por isso ele é perfeccionista. Mas, por meio do ego, a perfeição jamais é possível.
  • Uma pessoa ambiciosa não pode ser criativa, pois ela não tem amor por nenhuma atividade.

A Mente

  • A mente vazia é oficina de Deus. A mente vazia é a coisa mais bela do mundo, a mais pura delas.
  • A mente esta obcecada por atividade.
  • Por quanto tempo você consegue se manter em silêncio?
  • Há dois tipos de silêncio. Um deles é o silêncio que você pode impor a si mesmo. Isso não é uma coisa muito delicada. É um tipo de violência, é uma espécie de violação da mente; é agressivo. E há o tipo de silêncio que toma conta de você como a noite envolve o dia.
  • O intelecto não pode ser criativo. As universidades não geram Shakespeares, Miltons, Dostoevskys, Tolstoys, Rabindranaths, Kahll Gilbrans.
  • Não é possível haver nenhum tipo de criatividade intelectual.
  • Qual a diferença entre produzir e criar? A produção é uma atividade mecânica. Os computadores fazem isso – eles estão fazendo isso, e fazendo-o de uma forma muito mais eficiente do que se pode esperar do homem. A inteligência cria; ela não produz. O ato de produzir envolve repetição de tarefas: aquilo que já foi feito, você continua a produzir. Criatividade significa trazer à existência aquilo que é novo; abrir caminho para que o desconhecido penetre o conhecido; abrir um canal para que o Céu venha à Terra.
  • O criador tem que ser capaz de parecer idiota. O criador tem que pôr em risco o que se chama de respeitabilidade. Você já viu alguma pessoa respeitável fazer algo criativo? Ela é medrosa. Se ela fizer algo errado, ou se algo der errado, o que acontecerá com seu prestígio?
  • Você tem duas mentes, dois hemisférios no cérebro. O hemisfério esquerdo não é criativo – é tecnicamente muito capaz, mas, no que diz respeito à criatividade, ele é absolutamente impotente. Ele consegue levá-lo a fazer algo somente quando o assimila – e então você consegue fazê-lo muito eficientemente, perfeitamente; ele é mecânico. Ele é o hemisfério da razão, da lógica, da matemática. É o hemisfério do cálculo, da inteligência, da disciplina, da ordem.
  • O hemisfério direito é justamento o oposto dele. É o hemisfério do caos, não da ordem; é o hemisfério da poesia, não da prosa; é o hemisfério do amor, não da lógica. Ele é o poderoso canal de percepção da beleza, meio de profundo discernimento da originalidade – mas não é instrumento de eficiência. O criador não consegue ser eficiente; ele precisa estar sempre experimentando.
  • Como desativar o hemisfério direito do cérebro e ativar o esquerdo – é isso que nos ensinam nas escolas. Entre os 7 e 14 anos de idade, acabamos conseguindo destruir o lado direito, e morre a criança que há em nós; ela é destruída.
  • Sua mente está cheia de memorização; agora você pode repetir, pode reproduzir.

Crianças

  • Pergunte a uma criança “Aonde você vai?”, na mente da criança essa pergunta é irrelevante, “Há necessidade de ir a algum lugar?”.  Para nós, uma atividade é relevante somente quando ela leva a algum lugar.
  • Quando você se torna receptivo, você se assemelha a uma criança.
  • Todo ser humano é um criador nato. Observe as crianças e você verá: todas são criativas. Aos poucos, nós destruímos sua criatividade.
  • Volte a ser criança e você será criativo. Toda criança é criativa. A criatividade precisa de libertação – libertação dos grilhões da mente, do conhecimento, dos preconceitos. A pessoa criativa é aquela que consegue experimentar o novo. A pessoa criativa não é um robô. Os robôs jamais são criativos; eles são repetitivos.
  • Toda criança nasce criativa – mas não aproveitamos sua criatividade.
  • Todas as crianças nascem com toda a potencialidade para serem criadoras. Sem exceção, todas tentam ser criativas, mas não permitimos que elas sejam. Prontamente, começamos a ensiná-las a maneira correta de fazer as coisas – e, assim que aprendem a maneira correta de fazê-las, elas se tornam robôs. Portanto elas passam a fazer as coisas sempre da maneira correta, e, quanto mais assim o fazem, mais eficientes se tornam. E, quanto mais eficientes se tornam, mais respeitadas elas são.

Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

Qualquer coisa fico a disposição.

Um grande abraço!

Insights do livro: A Lógica do Pensamento CRIATIVO

a logica do pensamento criativo

A Lógica do pensamento Criativo

Insights do livro: A Lógica do Pensamento CRIATIVO

Olá pessoal, como estão?

Nesse post vou apresentar insights sobre o livro A Lógica do Pensamento CRIATIVO do americano Eric Wahl, artista, escritor e empresário.

Em vários aspectos esse livro é muito interessante, principalmente por unir uma mentalidade de negócios com uma mentalidade super artística.

Aproveite os insights, Bon Voyage!

Processo educacional

Educação

  • Você aprendeu a raciocinar com lógica, porém sem ousadia. Esqueceu-se das ferramentas artísticas com as quais foi dotado ao nascer.
  • A capacidade de resolver problemas diminuía a medida em que os conhecimentos de Einstein aumentavam.
  • O conhecimento é um obstáculo para a criatividade, pois é necessário abrir mão dele para solucionar novos problemas.
  • A partir do jardim de infância basicamente aprendemos a usar um dos lados de nosso cérebro, o esquerdo, que abriga habilidades analíticas, fatos, e o pensamento racional e lógico.
  • A medida que você avança nos estudos, cada vez menos é estimulado e recompensado pela maneira de pesar abstrata e artística.
  • Na visão atual a ignorância é o inimigo, o conhecimento é soberano.

A Criatividade

Seja Criativo

  • Todos somos criativos, capazes de criar e inovar.
  • A criatividade nasce do desejo de aventura.
  • Somos viciados em segurança, temos medo da liberdade.
  • Podemos criar sem nenhum treinamento formal, sem regras, sem seguir padrões.
  • Para transformar arte, paixão, criatividade em um negócio lucrativo, é necessário uni-los a razão.
  • Somos educados a memorizar uma resposta predeterminada ou um método predeterminado. Sempre com uma resposta certa para a pergunta.
  • Nosso maior potencial é alcançado quando a imaginação desordenada é aplicada com competência crítica.
  • O mistério é um fator muito importante no processo criativo, ele envolve a promessa de caminhos não desbravados. A criatividade nasce no mistério.
  • Tentamos resolver problemas e gerar ideias originais dentro da bolha do conhecimento e da experiência que acumulamos.

Os Adultos

Ser Adulto

  • O Adulto deve redescobrir sua criatividade, e isso pode mudar tudo. A forma como enxerga seu trabalho e a sua vida.
  • Voltar a ser criança é uma necessidade para os adultos, com isso pode enxergar toda a plenitude da vida, sair da mesmice e se lançar em direção a desafios.
  • “Em todo homem verdadeiro existe uma criança que deseja brincar.” – Friedrich Nietzsche
  • Na opinião de Einstein, sua genialidade era o resultado de ter permanecido infantil na idade adulta. Ele também diz que a Imaginação é mais importante que o conhecimento.
  • Precisamos parar de pensar que a curiosidade, a imaginação e a exploração são brincadeiras infantis.
  • O caminho da criatividade começa a desaparecer na escola primária, e ao nos tornarmos adultos a perdemos de vista.
  • Nossa capacidade de aprender coisas nova diminui ao longo do tempo.
  • Seu lado criativo não morreu, está apenas adormecido.
  • Jamais pare de fazer explorações.

As Crianças

Ser criança

  • Nos primeiros anos de vida, incorporam as principais características que mantem o fluxo de criatividade.
  • São entusiasmadas!
  • Não temiam o desconhecido – ao contrário, o processo de descoberta é o que os alimenta.
  • Imaginação sem limites!
  • Criatividade transbordando, mas limitadas por sua imaturas faculdades físicas e mentais.
  • “Toda criança é um artista. O problema é continuar a ser artista depois de crescer.”  – Pablo Picasso
  • O ser humano nasce dotado da capacidade de desenvolver ideais novas e de resolver problemas com originalidade.
  • Brincar é extremamente importante para o processo criativo. Reduz o stress, aumenta os níveis de energia, aguça a percepção, aumenta o otimismo e promove a criatividade.
  • As crianças não tem experiências suficientes para descartar testes!
  • Quando criança, você não tinha consciência do que os outros pensavam. Esse desligamento agia como um catalisador do desenvolvimento do seu conhecimento, caráter e criatividade. Você fazias as coisas com naturalidade, e não havia nenhum filtro entre sua mente e sua boca.

Inovação

Innovation

  • No Google, os engenheiros despendem 20% de suas horas de trabalho explorando alguma coisa que desperte sua curiosidade. Metade dos produtos lançados pelo Google vem desses momentos, produtos como Gmail, Google Earth e o AdSense são alguns frutos dessa política.
  • Saber quando adotar a criatividade infantil inerente ao lado direito do cérebro e quando adotar a estratégia lógica comandada pelo lado esquerdo é uma combinação poderosa!
  • As empresas mais de criatividade do que de clareza e estabilidade.
  • A maior parte das empresas não enxergam a criatividade como uma necessidade até que precise desesperadamente dela.
  • O lado esquerdo do cérebro desempenha um papel importante no sentido de concretizar as inovações, e o direito é quem gera essas inovações.
  • A criatividade constrói a partir do nada. Sempre será preciso que correr riscos.

Ser Picasso

Minha mãe me dizia: “Se fores um soldado, te tornarás um general. Se fores um monge, acabarás sendo Papa.” Então fui um pintor e agora sou Picasso.

Ser Picasso

PROVOCADOR

  • Questione, provoque mudanças, enfrentamentos, tenha coragem para desafiar o sistema.
  • Não fuja do desconforto.
  • Peça perdão, não permissão.

INTUITIVO

  • As grandes ideias nascem no inconsciente, mas seu inconsciente deve estar bem informado, caso contrário suas ideias serão irrelevantes.
  • Existem coisas verdadeiras e coisas que sentimos que são verdadeiras.
  • Não existe fórmulas para as descobertas!
  • O poder da intuição é que uma pequena dose resulta em grandes transformações.
  • O intelecto sem a intuição resulta em uma pessoa inteligente, porém sem impacto.
  • A intuição não segue roteiros, é através dela que fazemos descobertas.
  • A intuição diz ao seu racional a onde ele deve procurar.

CONVINCENTE

ACELERADO

  • A perfeição não deve ser o padrão.
  • O relaxamento é a chave para permitir que, quando necessário, sua criatividade flua livre e mais rapidamente.

ESPONTÂNEO

  • Quando a espontaneidade vem naturalmente, a criatividade atinge um novo nível.
  • O mistério está no coração da criatividade. E a espontaneidade atrai o mistério.

DESPRENDIDO

  • Abra mão do reconhecimento. Queremos o crédito porque tetemos que sem ele jamais recebemos uma recompensa. Mas a verdadeira abnegação implica fazer alguma coisa pela coisa em si, não para mostrar.
  • A abnegação lhe trará uma paz de espirito pura e verdadeira.
  • Existe uma profunda ligação entre abdicação e a criatividade.
  • Redescobrir o artista que existe dentro de você não ocorrerá sem entrega.

ORIGINAL

  • A missão de cada um de nós é tão única quanto a oportunidade de vivê-la.
  • Você tem uma vantagem sobre qualquer outro ser vivente: você é único!
  • Teste de Asch: 75% das pessoas seguem as outras.
  • O medo e a culpa são inimigos da originalidade.
  • O homem que segue a multidão, provavelmente não irá mais longe que a multidão.
  • Você é um artista único, capaz de produzir uma obra de arte única todos os dias.

Repenso, logo crio.


Já conhece o Workshop Redescobrindo sua Criatividade?

Dúvidas?

Um grande abraço e até breve.

As diferenças entre Mente Concreta e a Mente Abstrata

As diferenças entre a mente concreta e a mente abstrata

A mente concreta, o intelecto, é responsável por todos nossos pensamentos do cotidiano, é ele que usamos para resolver uma questão algébrica, é ele que usamos para interpretar um texto, é ele que usamos para comparar duas tabelas de dados. Ele nada mais é do que um poderoso instrumento da mente abstrata, muito útil apesar de suas limitações.

É um instrumento que não pode produzir nada sem que a pessoa o maneje adequadamente. Porém, é impossível produzir qualquer coisa sem o instrumento apropriado. Se o nosso instrumento intelectual é deficiente, mal desenvolvido ou mal nutrido, não será possível que a mente abstrata se manifeste por meio dele. É necessário possuir um forte instrumento intelectual para expressar a compreensão da mente abstrata. Por isso, não venho aqui denegrir o intelecto, mas sim, mostrar o quão importante é fortalecê-lo e aprender a dominá-lo. Sem dominar o intelecto, é impossível acessar a mente abstrata, que é responsável por toda real criatividade, pela inspiração e pela visão do todo.

Problemas do intelecto

Atualmente temos dois grandes problemas ligados ao intelecto, o primeiro diz respeito à nossa sociedade atual, que considera o intelecto a maior força do homem, algo que ele não é. É como acreditar que um computador possui uma inteligência superior, sendo que ele é apenas uma poderosa ferramenta que pode calcular rapidamente, que tem grande memória, segue muito bem instruções e consegue cruzar informações rapidamente. O computador é semelhante a nosso intelecto, incapaz de criar qualquer coisa nova, de ter qualquer informação sem que seja formalmente instruído, devido a sua incapacidade de abstrair. O segundo grande problema, é que nosso intelecto funciona o tempo todo.

Nas condições atuais, de excesso de informações, de falta de atividades criativas, de falta de meditação e de momentos de contemplação, o intelecto não para em nenhum momento. Isso transforma a vida moderna em um mar de pensamentos vazios, acabando com a capacidade humana de abstração, inspiração e criação. O que acaba levando o homem a um vazio existencial, fazendo-o esquecer de seu incrível potencial criador.

Para despertar a mente criativa, a mente abstrata, é essencial silenciar o intelecto, e utilizá-lo como o instrumento que é, e não como sendo o nosso real ser. Você não vai deixar de existir se parar de pensar o tempo todo, muito pelo contrário, você será muito mais autentico e criativo.

DISCIPLINA MENTAL

Para que possamos usar a mente concreta como uma ferramenta e acessar nossa mente abstrata, é necessário concentração e mindfulness. Devemos aprender a sossegar o instrumento intelectual, de maneira que ele se transforme em um vassalo dócil da mente abstrata. De outro lado, devemos mediante a leitura e ao estudo, aguçar o instrumento intelectual, de modo que esse instrumento sirva ao pensador, manifestando e expressando a visão da mente abstrata. A busca da criatividade está sempre na mente abstrata, e a mente concreta é apenas o instrumento de sua manifestação e expressão. Para que a mente abstrata possa ser acessada e utilizada, é necessário silenciar a mente concreta.

“Quando você medita, sua mente se aquieta e você passa a enxergar muito mais do que enxergava antes. É uma disciplina, você tem que praticar.”

– Steve Jobs, empreendedor criador da Apple

E A MENTE ABSTRATA?

É a mente não local. A mente abstrata não está ligada ao processo lógico mental como estamos acostumados, ela é acessada através de insights criativos, de inspiração, da intuição. Pense no processo criativo, o que é um insights? De onde ele surge como um estalo “click”, vindo “do nada”, sem esforço, em momentos de relaxamento. É simplesmente a mente abstrata trabalhando.


Já conhece o Workshop Redescobrindo sua Criatividade?

 

Mais postagens sobre criatividade:

Como funciona a Criatividade

As nove chaves para a Criatividade

Os nove obstáculos para a Criatividade

Photo credit: danielfoster437 via Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

Destruição Criativa

Destruição Criativa

Tsunami Criativo

Destruição Criativa

A destruição criativa é um processo orgânico de permanente mutação empresarial, que incessantemente revoluciona a estrutura econômica a partir de dentro, que simultaneamente destrói a estrutura antiga e cria uma nova estrutura. Esse processo de destruição criativa é a principal qualidade do capitalismo, a sua renovação constante, o antigo cai porque perde mercado para o novo.

simultaneamente destruindo a estrutura antiga e criando uma nova estrutura.

A destruição criativa pode ser considerada responsável pelo fechamento de fábricas e pela eliminação de postos de trabalho. Porém, também é capaz de orientar os agentes econômicos a adaptarem-se às mudanças tecnológicas e preferências dos clientes.

No século XIX, a atividade do empreendedor podia ser vista como um terceiro fator de produção, juntamente com a terra e o trabalho. Hoje, o elemento decisivo do trabalho criativo é desempenhado pelo empreendedor, é ele o indivíduo que concretiza as novas combinações, em outras palavras, o empreendedor é a personificação da inovação, é ele que faz a destruição criativa acontecer.

Davi x Golias

As empresas de grande porte, as mega corporações com vasta experiência no mercado estão sendo derrotadas, vencidas na luta pela inovação, ultrapassadas no lançamento de novos produtos e na satisfação dos clientes, dentre outros itens por concorrente muito menores, empreendedores de garagem, empresas ágeis e com foco no cliente.

Vejam essa matéria da Exame: Após aporte de US$ 2,1 bi, Uber já vale mais que Ford ou GM

Quanto maior é a empresa, mais encorajada é a burocracia dentro dela. E isso se torna um grande problema quando falamos de inovação e intraempreendedorismo. As empresas altamente burocratizadas não estão aptas a competir em uma economia dinâmica e de ciclos cada vez mais rápidos. Serão necessárias fortes mudanças de gestão para que elas possam sobreviver e competir com as menores.

Uma dica para as pequenas

Aproveitem o seu tamanho, aproveitem a falta de processos estabelecidos, sejam ágeis e rápidas em suas respostas ao mercado. A inovação, a destruição criativa é sua maior aliada na guerra contra os gigantes globais.


Dúvidas, sugestões?

Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

 

 

As nove chaves para a Criatividade

Nove chaves para a criatividade

As nove chaves para a Criatividade

Depois de ter mostrado os nove obstáculos que inibem a nossa criatividade, vou apresentar as nove chaves para você voltar a ser uma pessoa criativa. Voltar porque todos nascemos criativos, nossa essência é criativa, somos todos co-criadores de tudo ao nosso redor. Vamos lá!

Seja um sonhador

Seja um sonhador

Seja um sonhador

“A maior das calamidades cairá sobre a humanidade no dia em que todos os sonhadores desaparecerem.”

– Friedrich Nietzsche, filosofo alemão

A criatividade é um subproduto do ato de sonhar, de imaginar. Tudo começa com um sonho, com um vislumbre de algo. É preciso entender que a possibilidade de imaginar, e as fantasias espontâneas que o imaginário humano possui, são fundamentais para a criação do mundo real. É a imaginação que molda o mundo, tudo o que o homem cria é baseado em sua imaginação. Todos somos imaginativos, as crianças são extraordinariamente sonhadoras, e isso quer dizer que todos nascemos com a habilidade de sonhar e de imaginar. Normalmente perdemos essa capacidade ao longo de nossas vidas.

Volte a sonhar, tente ficar um tempo sozinho, mergulhe cada vez mais fundo em sua imaginação, em suas criações, em seu ser. Divirta-se consigo mesmo, ame a si mesmo, você perceberá que existe uma grande alegria crescendo em você sem nenhuma causa externa, é a sua reconexão criativa.

Esteja aberto ao novo, experimente

Aberto a vida

Aberto a vida

O pensador criativo deve estar sempre aberto a novidades, ao novo. Ele deve ter uma visão aberta e não estruturada das informações. A abertura envolve a suspensão dos julgamentos, pois julgar é estruturar, e a criatividade gosta da liberdade, do caos, da falta de estruturas definidas. É preciso suspender os julgamentos e as interpretações habituais, a fim de ficar aberto à novas experiências. Esteja aberto a novas ideias, à arte, à ciência, à espiritualidade, basicamente a tudo que possa ser novo e diferente do comum. Aquele que se mostra disposto a aprender em qualquer circunstância, sempre abre caminhos para a criatividade. A pessoa criativa deve estar disposta a modificar sua visão sobre antigos conhecimentos e experiências, dando abertura a novos e extraordinários caminhos.

Seja curioso

Curioso como um gato

Curioso como um gato

A criatividade e a curiosidade estão diretamente ligadas. A criatividade nasce no mistério, e a curiosidade é parte importante na busca pela solução dos mistérios. Uma pessoa criativa sempre tem curiosidade, ela quer saber como as coisas funcionam, por que elas funcionam dessa maneira, ela quer saber se é possível fazê-las funcionar de um modo diferente. A mente curiosa está sempre inquieta, atrás de novidades, ela quer entender as coisas, ela quer conhecer o novo. A criatividade vai aos extremos do ser humano, da curiosa inquietude mental, até os momentos da mais profunda paz e reflexão da mente abstrata. A criatividade usa todo o potencial do ser humano.

Volte a ser criança

Volte a ser criança

Já pensou em ensinar uma criança a brincar?

“O número de pessoas que se tornam adultas é grande demais. Esse é o verdadeiro problema do mundo – o número de pessoas que deixam de ser crianças é grande demais. Elas esquecem. Não se lembram como é ter doze anos.”

Walt Disney, produtor e empreendedor

Todos nós nascemos criativos, toda criança é criativa e extremamente imaginativa. Sufocamos e matamos a sua criatividade quando começamos a ensinar a maneira “correta” de fazer as coisas. Tudo deve ser feito da maneira correta, da maneira mais eficaz, por que buscar formas alternativas se já lhe ensinamos a maneira correta? As crianças inventam brincadeiras, elas conseguem imaginar estar em qualquer lugar do mundo, em meio a extraordinárias aventuras enquanto descansam em suas camas. Nossas experiências e nossa educação nos fazem perder essa condição imaginativa e criativa.

Volte a pensar como uma criança, se perguntarmos “aonde você vai?”, há necessidade de ir a algum lugar? Para uma criança essa pergunta é irrelevante, para um adulto ela é importante. Para um adulto, uma atividade é relevante apenas quando ela leva a algum lugar. O indivíduo criativo deve conseguir recuperar a sua criança interior, a sua condição inata de criador. Uma criança nunca está pensando em sua respeitabilidade, ela não tem medo de parecer boba, ela não tem medo de brincar e imaginar.

A criatividade precisa da libertação – libertação dos grilhões da mente, do conhecimento, dos preconceitos, de modo em que possamos voltar a pensar como uma criança, livre e despreocupadamente.

Tenha disciplina

Disciplina

Disciplina

“As conquistas dependem de 50% de inspiração, criatividade e sonhos, e 50% de disciplina, trabalho árduo e determinação. São duas pernas que devem caminhar juntas.”

– Augusto Cury, médico e escritor

Criar não é a penas ter um insight, mas sim transformá-lo em uma solução, seja ele um produto, um serviço, uma obra de arte, uma nova teoria, ou qualquer outra coisa. O criador deve circular muitas vezes pelas etapas do processo criativo e aprimorar diversas vezes a sua criação. O processo de transformar o insight em um produto é trabalhoso, requer foco e concentração intelectual. Não importa qual é a atividade criativa, a disciplina é fundamental para uma criação de sucesso. As competências técnicas irão ajudar muito nessa parte do processo, pois utilizando as técnicas corretas, o processo será mais rápido e muito menos trabalhoso. O equilíbrio é essencial em qualquer atividade humana.

Como foi dito anteriormente, as crianças são extremamente criativas, mas o que elas fazem com essa criatividade? Elas brincam e se divertem, mas não tem condições de utilizar a criatividade para criar soluções reais para o mundo. A maturidade, as habilidades, a disciplina e o conhecimento dos adultos permitem transformar a criatividade em soluções reais. O problema é adquirir essas competências sem perder a criatividade.

Tenha atitude positiva

Seja Positivo

Seja Positivo

“Tente mover o mundo – o primeiro passo será mover a si mesmo.”

– Platão, filósofo e matemático

A criatividade é positiva e ativa, uma pessoa não positiva não será uma pessoa criativa. Ser criativo está ligado a ser positivo, alegre, confiante, atrevido e curioso. É preciso estar animado ao ponto de confiar em si mesmo para ser criativo. Um pessimista nunca será uma pessoa criativa. Você deve confiar no potencial de sua ideia e no seu potencial para que ela possa se transformar em algo real. Uma pessoa sem atitude positiva tende a ver apenas o lado negativo das coisas, a pensar que as novidades não irão funcionar e essa atitude destrói o seu lado criativo. Uma pessoa criativa está sempre fora da sua zona de conforto, sempre buscando novas opções de forma ativa e positiva.

Silencie a mente

Silenciando a mente

“A verdadeira inteligência atua silenciosamente. A calma é o lugar onde a criatividade e a solução dos problemas são encontrados.”

– Eckhart Tolle, escritor alemão

Ao contrário da curiosidade, que está sempre buscando o novo, sempre buscando conhecer melhor as coisas, é necessário para que possamos ter um insight, tranquilizar a mente concreta, e nos conectar à mente abstrata. Apenas abra um pequeno caminho, uma pequena passagem, para que o insight venha até você. Isso é criatividade – permitir que o eu universal se manifeste em você. Torne-se receptivo. O único modo de alcançar o seu eu universal é se elevar até ele e ficar receptivo, isso acontece quando o seu intelecto está em silêncio.

Quando você desliga sua mente concreta e começa a ouvir, você abre as portas da criatividade real, a criatividade que traz ao mundo as coisas que ainda não existem nele.

Seja original

Originalidade

 

“O estudo confere ciência, mas a meditação, originalidade.”

– Marquês de Maricá, filósofo e escritor brasileiro

Ser original é ser único, é ser o que apenas você pode ser. Se você apenas seguir a multidão, provavelmente não irá mais longe do que a multidão. A pessoa que caminha por si, tem a possibilidade de chegar a lugares onde ninguém mais chegou. Misture-se ou diferencie-se. Observe que as pessoas mais criativas fogem ao “normal”, elas são o que são, elas não deixam as ideias da sociedade moldá-las. Nosso comportamento normalmente é o inverso, fugimos de tudo que seja diferente e falamos “isso não é normal”, queremos ser “normais”. Por quê? Porque somos treinados para isso, porque aceitamos o que nos ensinam, aceitamos os moldes que a sociedade nos aplica. Seja diferente, seja você mesmo, acredite em seu potencial, em sua originalidade, dance a dança da vida no seu ritmo.

Tenha ousadia, liberte-se de seus medos e tenha liberdade para trilhar o seu próprio caminho. Deixe suas máscaras de lado e acredite no milagre da vida. A real criatividade só existe na originalidade.

Divirta-se

Divirta-se

Divirta-se, aproveite todos os momentos de sua vida.

“A criatividade é a inteligência se divertindo.”

– Albert Einstein, físico alemão

A criatividade está ligada ao bom humor, à positividade, à aventura, à exploração, à imaginação. O ato de brincar diminui o estresse, aumenta os níveis de energia, aguça a percepção, aumenta o otimismo e promove a criatividade. O ato de brincar é o catalisador supremo da criatividade. Liberte-se! Gostamos muito de nos divertir, pois são nesses momentos que exercemos nossa criatividade, o dom mais humano de todos. Quando nos divertimos tiramos nossas máscaras, abraçamos nosso verdadeiro eu e criamos. Observe como as crianças se divertem com tudo, pequenos objetos se transformam nas mais criativas experiências imaginativas. Elas conseguem ir à lua e voltar usando apenas sua imaginação, e você, também consegue? Aposto que não. Divirta-se, brinque, sorria, de gargalhadas, inspire-se e desperte seu poder criativo inato. VOCÊ É CRIATIVO!

“As crianças são felizes porque brincam. Os adultos são infelizes porque não o fazem”.

– Roy Williams, Fundador da Wizard Academy

Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

 


Confira outros posts sobre criatividade:

Os nove obstáculos para a Criatividade

Como funciona a Criatividade

Design Thinking no empreendedorismo

Design Thinking

Design Thinking no empreendedorismo

A inovação se tornou nada menos do que uma estratégia de sobrevivência.”

– Tim Brown, designer e CEO

O Design Thinking é uma abordagem focada em encontrar soluções inovadoras e criativas para problemas e necessidades reais utilizando um conjunto de métodos e processos. Seu objetivo é criar soluções que tragam satisfação para o cliente, o que só pode ser atingido quando se conhece suas reais necessidades, desejos e percepções. O Design Thinking é baseado em nossa capacidade de sermos intuitivos, reconhecermos padrões, desenvolvermos ideias que tenham um significado emocional além do funcional, de nos expressarmos em mídias indo além das palavras ou símbolos.

Design Thinking traz diversas vantagens, como a velocidade e o baixo custo para a geração de inovação de valor. Ele utiliza o trabalho em equipe e não depende de “gênios criativos”, levando em conta o conhecimento tácito das pessoas e experiências com protótipos, não dependendo de extensas pesquisas quantitativas.

Design Thinkingé uma importante ferramenta para a etapa de “observação, insight, exploração e criação” de uma startup. Acredito que o Design Thinkingé complementa com excelência os conceitos da Startup Enxuta, e pode ser utilizado em todo o processo de criação e desenvolvimento de um startup. Não existe uma “melhor forma” de percorrer o processo de solução de problemas com inovação. O Design Thinkingé é fundamentado no processo exploratório, sua missão é a de traduzir observações em insights, e estes em produtos e serviços que melhorem a vida das pessoas. O Design Thinkingé é importante para enfrentar a cultura atual da eficiência, que dificulta a criatividade e a inovação.

Não existe uma “melhor forma” de percorrer o processo de solução de problemas com inovação. O Design Thinkingé é fundamentado no processo exploratório, sua missão é a de traduzir observações em insights, e estes em produtos e serviços que melhorem a vida das pessoas. Ele é importante para enfrentar a cultura atual da eficiência, que dificulta a criatividade e a inovação.

Alguns dos conceitos do Design Thinking:

  • Falhe muitas vezes para ter sucesso mais cedo.

  • Foco no ser humano.

  • É melhor assumir uma abordagem experimental: compartilhar processos, incentivar a propriedade coletiva de ideias e permitir que as equipes aprendam umas com as outras.

  • Boas ideias devem ter: praticidade, viabilidade e desejabilidade.

  • Em uma equipe multidisciplinar, cada pessoa defende a própria especialidade técnica. Em uma equipe interdisciplinar, todos se sentem donos das ideias e assumem a responsabilidade por elas.

  • Design Thinking é busca liberar a criatividade.

  • É necessário desenvolver uma cultura onde é melhor pedir perdão depois, em vez de permissão antes, que recompensa as pessoas pelo sucesso, mas lhes dá permissão para falhar, removendo assim um dos principais obstáculos à geração de novas ideias.

  • Design Thinking é uma mentalidade incorporada – incorporada em equipes e projetos, mas também nos espaços físicos de inovação.

  • Flexibilidade é fundamental.

  • Mudar a cultura de hierarquia e eficiência para uma de risco e exploração. As pessoas que conseguem fazer essa transição com sucesso provavelmente se tornarão mais envolvidas, mais motivadas e mais produtivas do que nunca.

“Se eu perguntasse a meus clientes o que eles queriam, teriam respondido ‘um cavalo mais rápido’.”

Henry Ford, empreendedor

Etapas do Design Thinking:

O processo do Design Thinking tem quatro etapas principais:

1º – Imersão: entender, observar e sentir o problema;
2º – Análise e síntese: entender e analisar a situação;
3º – Ideação: criar soluções, explorar criativamente as ideias;
4º – Prototipação: Criar um protótipo para testar as ideias;

TÉCNICAS E FERRAMENTAS DO DESIGN THINKING

Durante as etapas do Design Thinking são usadas diversas técnicas e ferramentas:

Pensamento visual: conceber uma imagem mental de uma ideia a partir de desenhos, gráficos, imagens ou qualquer representação visual que vá além de palavras e números.

Pensamento Visual

Pensamento Visual

Pensamento integrativo: explorar ideias opostas para construir novas soluções. Ampliar o escopo de questões relevantes, buscando soluções não lineares e multidirecionais. Conseguir extrair o fundamental em meio ao caos, ao excesso de variáveis e a complexidade das coisas. É sintetizar ideias a partir de fragmentos, é conseguir observar o todo ao invés de apenas uma parte.

Pensamento Integrativo

Pensamento Integrativo

Insights: ao observar com empatia o comportamento das pessoas e como elas lidam com o seus problemas, é possível ter insights de soluções inovadores para esses problemas. O insight é a descoberta que surge depois da reflexão sobre o problema.

Obstáculos para a criatividade

Obstáculos para a criatividade

Mapa mental: Ajuda na exploração do pensamento divergente, como ferramenta que possibilita a criação de um modelo mental de busca de alternativas, caminhos, soluções, respostas, possibilidades que sejam, sempre que possível; criativas, lógicas, estruturadas, estranhas, factíveis, duvidosas, de todo o tipo, para que se possa explorar e chegar às melhores soluções.

Mapa Mental

Mapa Mental

Prototipagem: É a versão física de um produto, podendo ser uma versão rudimentar do mesmo. Sua importância se dá pelas possibilidades de enxergar o produto concretamente, abrindo diversas possibilidades de aprimorá-lo. Serviços e tipos diferentes de produtos também podem ser prototipados através de storytelling, experiências simuladas e maquetes de projeção.

Protótipo

Protótipo


Você experiência com Design Thinking? Compartilhe, contribua analise, mande seu feedback! Vamos construir melhores conceitos e definições juntos.

Um abraço!

Os nove obstáculos para a Criatividade

Obstáculos para a criatividade

Os nove obstáculos para a Criatividade

Se um dia já fomos imaginativos e criativos, por que deixamos de ser? Vou apresentar a seguir, os nove principais obstáculos para uma mente criativa. Todos os obstáculos são contornáveis, e recuperação da criatividade é uma opção para qualquer um.

Reconhecimento e ambição

Reconhecimento e Ambição

Reconhecimento e Ambição

Por que você faz o que faz? Ser criativo está ligado à auto realização, ame o que você faz, e assim você será criativo. A criatividade está ligada a amar tudo o que você faz, não importa se lhe elogiarão por isso, não importa se isso lhe trará fama, não importa se isso lhe trará riqueza. Se a fama vier, se a riqueza vier, ótimo. Se não vier, ótimo, pois o seu motor deve ser a auto realização. Quando a ambição aparece, a criatividade desaparece. Somos ensinados que somente se tivermos reconhecimento seremos alguém, nosso trabalho por si só é irrelevante. O trabalho não é importante, mas o reconhecimento é – isso é uma inversão de valores.

Quanto mais nos importamos com as opiniões das outras pessoas, menos criativos ficamos. Ser criativo está diretamente ligado a pensar diferente, em ser diferente do “normal”. Se você precisa “ser” alguém para os outros, dificilmente você será criativo; pois estará muito preocupado com o que os outros irão pensar sobre o que você pensa, imagina e cria, perdendo assim, sua essência criativa e sua originalidade. Seja você, faça por você.

O intelecto

Intelecto

O intelecto

O intelecto, é uma excelente ferramenta, e se usado como tal, tem um imenso potencial. Mas se o intelecto for visto como a base do ser humano, como quem coordena o nosso ser, e não como uma ferramenta, ele se torna uma prisão e já não podemos mais ser criativos. A mente concreta pode apenas conectar fatos e dados já vistos, ela não tem poder de abstração, ela não enxerga o todo, apenas as partes. A mente concreta pode apenas reproduzir, o que é uma atividade mecânica, mas ela não pode criar. Criar significa trazer à existência aquilo que é novo; abrir caminho para que o desconhecido penetre o conhecido, e isso apenas a mente abstrata pode fazer.

“Devemos tomar cuidado para não fazer do nosso intelecto nosso deus; ele tem, é claro, músculos potentes, mas não tem personalidade.”

– Albert Einstein, físico

Apenas acessando a mente abstrata é que podemos ser realmente criativos, e para isso, é necessário silenciar o intelecto. A mente concreta pode conectar informações, se o Uber pode conectar motoristas com quem precisa se locomover, eu posso ligar manicures a quem precisa fazer as unhas. Esse tipo de criatividade, de ligar os pontos, é possível através da mente concreta, podemos programar computadores para realizar a mesma tarefa. Já a mente abstrata é aquela que ajudou Steve Jobs a transportar arte para dentro de máquinas computacionais, um dom intransferível e exclusivamente humano.

O medo e a dúvida

Enfrentar o Medo

Enfrentar o Medo

“Tais dúvidas são traiçoeiras, e nos fazem perder o bem que muitas vezes poderíamos alcançar pelo temor que temos de tentar”.

– William Shakespeare, poeta e dramaturgo

Quase todo adulto vive cercado por medos e dúvidas, diferente das crianças, que são livres, sem medos até serem instigadas, e suas dúvidas são na verdade questionamentos sobre o mundo. As dúvidas do adulto são sobre sua própria capacidade, e se transformam em medo. As ideias criativas acabam deixando de existir, pois talvez elas não sejam boas o suficiente, ou até tolas ou imaturas. O que os outros iriam pensar dele se suas ideias fossem consideradas assim? É melhor não arriscar e calar.

“O maior inimigo da criatividade é o bom senso…”

– Pablo Picasso, pintor e artista

O indivíduo criativo não pode ter medo de errar, ele deve arriscar, ele deve ser aquele que levanta a mão em uma aula e faz perguntas, mesmo que elas sejam ridículas para os outros. Ele não teme o julgamento, não tem medo de parecer um idiota na frente dos outros. O medo nos leva a agir de forma coerente com nosso meio, de forma não questionadora, se ninguém faz esse tipo de questionamento eu também não devo fazer. O criador não tem esse tipo de medo, ele vai atrás do diferente, ele faz perguntas: “por que se faz dessa maneira?”, “Não podemos fazer diferente?”.

O perfeccionismo e as comparações

Existe uma neurose moderna onde se acredita que tudo deve ser perfeito. Nosso trabalho deve ser perfeito, nossa vida deve ser perfeita, nos comparamos constantemente com os outros, e queremos ser “melhores”. Essas atitudes tiram o foco de nosso lado criativo, nos deixando presos ao perfeccionismo, não deixamos nossa intuição e nossa inspiração nos guiar, comprometendo o processo criativo. Os que buscam a perfeição nunca serão perfeitos. A criatividade está ligada com a espontaneidade, com a originalidade e não com a perfeição. Uma parte de você pode estar condenando-o, criticando-o, reprovando-o, você está dividido e não pleno. Seja você mesmo, busque em seu interior a plenitude, a originalidade e não a perfeição. Uma obra de Picasso é perfeita? Assuma riscos, não tenha medo de errar.

Ser produtivo o tempo todo

Produtividade

Ser produtivo o tempo todo

A sociedade atual menospreza o ócio, temos que estar sempre fazendo algo produtivo o tempo todo para sermos considerados úteis. Estar simplesmente parado, contemplando, desprovido de pensamentos é algo inaceitável, mas é extremamente importante para quem busca ser criativo. É necessário silenciar a mente concreta para acessar nossa mente abstrata, para que possamos nos inspirar, para que os insights possam surgir. Deve ser possível ficar em silêncio, “parado”, sem a preocupação de estarmos jogando nosso tempo fora. Esse processo é importante para que não sejam fechadas as portas da mente abstrata, da intuição e da criatividade. A ociosidade também é produtiva.

A eficiência

Eficiência

Devemos ser eficientes como computadores

“Nos processos de seleção, as empresas descartam os criativos e ficam com as pessoas sem imaginação. Depois as mandam fazer cursos de criatividade.”

– Domenico De Masi, sociólogo italiano

Atualmente louvamos a eficiência e a produtividade, devemos regrar cuidadosamente nossas agendas, nossos horários, fazer cada vez mais coisas usando menos tempo e recursos. Isso é ser eficiente, infelizmente, quanto mais eficiente somos, menos criativos ficamos. As empresas querem funcionários altamente eficientes e produtivos, e querem, na teoria, que eles também sejam criativos. Como podemos ser criativos se lutamos contra o relógio para produzirmos mais e mais rápido? Como podemos silenciar nossas mentes concretas, explorar novas oportunidades, contemplar e nos inspirar se não temos tempo para isso?

Acredito que um dos grandes dilemas de um futuro não muito distante será a luta da eficiência contra a criatividade. Todas as atividades repetitivas poderão ser realizadas por computadores e máquinas. À medida em que os computadores automatizarem cada vez mais as tarefas repetitivas, caberá ao homem as atividades criativas, abstratas e intuitivas, que só podem ser realizadas por seres humanos.

A educação

Educação

A Educação

“O conhecimento muitas vezes é o maior obstáculo para a criatividade quando se trata de resolver problemas, porque a ideia de abrir mão de todo esse conhecimento em favor de uma lousa em branco parece absurda.”

– Eric Wahl, A Lógica do Pensamento Criativo

O modelo educacional atual distancia o aluno de seu potencial criativo, ele apresenta um problema e apenas um caminho já pronto para se chegar na solução. A educação reforça o julgamento, e quanto mais julgamos, menos criativos ficamos. A partir do jardim de infância, aprendemos basicamente a usar apenas um lado do nosso cérebro, o esquerdo, que abriga habilidades analíticas, fatos e o pensamento racional e lógico. Mais de noventa por cento do que aprendemos na escola tende a exercitar-nos as faculdades de julgamento. “Faça desse modo”, “pense dessa maneira”, “não vá querer inventar a roda”.

O processo criativo precisa de liberdade de julgamento, de pensamento livre, de curiosidade, de abertura para que seja possível buscar soluções alternativas. Toda criança nasce criativa, e do jardim de infância à universidade, nossa educação estimula apenas o nosso pensamento concreto, lógico e julgador. Esse modelo nos força a sermos repetitivos e não estimula em nada a nossa mente abstrata, a nossa criatividade. Agora, com sua mente cheia de memorização, você pode repetir e produzir, é para isso que somos educados.

Albert Einstein não conseguiu passar em seu exame admissional. Seu intelecto criativo não permitia que ele se comporta-se padronizadamente como os outros, ele foi punido por isso. Einstein era extremamente criativo, ele não se encaixava nos padrões. A capacidade de Einstein de resolver problema diminuiu à medida que seus conhecimentos aumentaram.

A zona de conforto

Os esforços criativos encontram fortes resistências das pessoas em geral e do mundo externo. A maior parte das pessoas gosta de estar em sua zona de conforto, fazendo coisas que já sabem fazer, elas não gostam de mudanças. As convenções e os padrões são grandes inimigos da originalidade. Como ser criativo se devo apenas seguir processos e padrões? O pensador criativo não gosta de estar na zona de conforto, não gosta de pensar dentro da caixa, ele está sempre buscando o diferente. As pessoas tentam inibir os esforços criativos, elas foram treinadas para isso, além do mais, o novo as tiraria de sua zona de conforto. A maior parte dos grandes criadores sofre com a zombaria às suas ideias. É necessário ao criador não cair em desânimo, enfrentar as dificuldades sem perder o foco em sua criação.

O julgamento

Julgamento

Julgamento

As pessoas tendem a ser menos criativas com a idade, o fato é que elas se tornam vítimas de velhos hábitos. Esses são consequências de sua educação e de suas experiências, elas tendem a desenvolver inibições, o que torna rígido o ato de pensar. O importante para o pensamento criativo é questionar e não julgar. Se você quer ser criativo, deve se desfazer de muito do que os seus pais, seus professores e a sociedade o ensinaram. Libertando-se das coisas que o reprimem e o fazem um julgador, pense livremente, questione. A criatividade pode ser desencadeada por uma limpeza constante de suas ideias antigas.


Dúvidas, sugestões, contribuições?

Redescubra a sua criatividade.

 

Outros artigos:

 

Como funciona a Criatividade

Como funciona a criatividade

Como funciona a Criatividade

O que diferencia o ser humano de outras espécies é sua capacidade de pensar, imaginar, criar e modelar a natureza. É o fogo criador que todo ser humano carrega dentro de si. A criatividade é a capacidade de criar o novo, o que ainda não existe em nosso mundo físico. É esse poder que transforma toda a vida humana, onde moramos, o que comemos, como nos comunicamos, tudo tem influência direta de nossa criatividade, de nosso poder de criação. Todo ser humano nasce criativo, enquanto crianças vivemos imersos em criatividade, e ao longo de nosso crescimento, somos guiados a abandoná-la e a seguir padrões.

No cenário atual, onde se pode produzir “qualquer coisa”, a criatividade, mais do que em qualquer outro momento, tem um papel fundamental no mundo do empreendedorismo. É através de nossa criatividade que iremos modelar, projetar, construir e testar novos produtos e serviços. Como podemos fazer diferente? O que podemos fazer diferente? É através de nossa criatividade que podemos achar essas respostas e solucionar diferentes tipos de problemas. A criatividade está ligada a todas as áreas de atuação do ser humano, nas artes, na ciência, nos negócios, na filosofia, na sociedade, entre outras; cada qual se conecta à criatividade de um modo diferente.

Criatividade no empreendedorismo

Bagunça Criativa

Toda a destruição criativa do empreendedor vem de sua criatividade, de sua capacidade de solucionar problemas e criar soluções que gerem valor. Essas soluções, produtos e serviços que tem o poder de derrubar modelos de negócio tradicionais, são desenvolvidas com base na criatividade humana. A maior parte dos grandes negócios surgiu e se mantêm graças às ideias criativas, o Google quer organizar todas as informações do mundo, a Apple quer transformar tecnologia em arte. É possível dizer que o empreendedorismo e a criatividade andam de mãos dadas, sendo a criatividade uma importante força para o equilíbrio do empreendedor de sucesso.

“A criatividade não é um talento, é uma forma de operar”
John Clees

A criatividade utiliza todo o potencial emocional, mental e espiritual do ser humano. O processo criativo começa individualizado na mente concreta e acaba conectado à correntes universais através da mente abstrata, de onde vêm todos os insights criativos mais poderosos. O indivíduo criativo tem, diante de si, duas opções: seguir a multidão – e repetir conceitos – ou trilhar um rumo completamente diferente, na direção oposta, na direção de um dos mais poderosos dons humanos, o da criatividade.

Como funciona o processo criativo

“Criatividade é a capacidade de formar mentalmente ideias, imagens e coisas não-presentes ou dar existência a algo novo, único e original.”
Duaibili & Simonsen Jr.

A criatividade é uma técnica de resolução de problemas, de criação de soluções e de coisas que ainda não existem. Essa técnica pode ser aplicada a qualquer atividade humana. Como colocar a criatividade em prática, buscando solução para problemas reais? Podemos dividir o processo criativo em cinco etapas estratégicas para a solução de problemas. Essas etapas nem sempre seguem uma sequência linear, é possível avançar e voltar livremente diversas vezes no processo criativo.

1. IDENTIFICAÇÃO

“Antes de usar sua criatividade para resolver um problema, certifique-se de que está resolvendo o problema certo. Cavar bem no lugar errado é cavar mal.”

Murilo Gun, professor e comediante

Na primeira etapa do processo criativo buscamos identificar o problema. Que tipo de problema deve ser resolvido? O que queremos resolver? Quando pensamos em um problema, seja ele cotidiano ou cientifico, em primeiro lugar o enunciamos mentalmente, o criamos em nosso pensamento concreto. É nesse momento que nosso intelecto deve ficar solto, observando e buscando oportunidades. Deixe sua mente explorar sua imaginação, use toda sua curiosidade em seu favor.

2. PREPARAÇÃO

Na segunda etapa buscamos refletir sobre o problema, buscar dados, informações e conhecimentos que possam ajudar a solucionar o problema identificado. Uma vez delineado o problema, fixamos nossa mente em algum aspecto dele, e nele concentramos toda a nossa atenção, excluindo todo o resto de nossa mente. Nesse momento devemos concentrar nosso intelecto na busca de respostas para o problema identificado. Busque informações, analise sistematicamente dados e opções.

3. INCUBAÇÃO

Na fase de incubação observamos as reações e associações de ideias que o problema produz em nossa consciência, e tentamos verificar se essas derivações trazem alguma luz para a solução do problema. O processo de incubação se desenvolve em sua maior parte no plano do inconsciente, ou na faixa do pré-consciente. Nem sempre a solução é encontrada, então, é preciso descansar e voltar a trabalhar posteriormente na solução. Nessa pausa, o processo lançado no subconsciente não se detém, e de forma silenciosa, de acordo com a intensidade do delineamento e do desejo de encontrar a solução, estabelece-se uma atividade correlata em nossa mente abstrata. É nesse momento que devemos deixar nosso intelecto de lado, silenciar nossa mente concreta, e irmos em busca da iluminação de nossa ideia

4. ILUMINAÇÃO

A etapa de iluminação é basicamente involuntária do ponto de vista intelectual. Depois de algum tempo, que pode variar de dias, meses até anos, através dos Lampejos de Inspiração, a solução do problema se apresenta subitamente, surge o insight. O insight é aquela ideia “genial” que surge quando menos esperamos, é o “Heureka”, é o estalo da criatividade, processado pela mente abstrata, ligada a nosso eu universal. É a súbita compreensão das relações entre meios e fins. Aparece em geral sem esforço consciente. É necessário estar aberto à mente abstrata para que se possa receber um insight. Essa abertura se dá quando estamos com a mente concreta em silêncio e com isso podemos nos conectar à mente abstrata, para receber o tão desejado insight criativo.

5. ELABORAÇÃO E VERIFICAÇÃO

Na última etapa do processo criativo, depois que já tivemos o insight sobre problema, e o julgamos satisfatório, inicia-se a etapa de elaboração. Nessa etapa elabora-se a solução do problema a partir do insight obtido, retomamos o uso de nosso instrumento intelectual para que possamos refinar, aprimorar e moldar a solução do problema. É preciso também verificar se a ideia adotada como solução do problema representa, de fato, a sua verdadeira solução. Essa é a etapa do trabalho duro, onde a solução do problema deve ser explorada e transportada para o mundo real. Independentemente do que seja, ela agora fará parte do mundo físico e seu sucesso ou aceitação dependerá de como o insight será trabalhado e transformado em solução.

“A imaginação é mais importante do que o conhecimento. O conhecimento é limitado. A imaginação circunda o mundo.”

– Albert Einstein, físico


Dúvidas, sugestões, opiniões?

Enfrentando dificuldades em ser criativo? Já conhece o workshop Redescobrindo sua Criatividade?

Um grande abraço!